Dever fiduciário


Todo mundo fala que a Petros tem o dever fiduciário e a própria Petros deixa isso bem claro, como por exemplo, numa das notícias publicadas no site, em 06/05/2019: “Petros reconhece como legítimo que os participantes acionem a Justiça, na busca do que entendem ser seus direitos, mas, para cumprir sua obrigação legal e seu dever fiduciário, está recorrendo de todas as decisões contrárias ao plano do equacionamento”.

E você, participante, sabe o que isso significa?

O dever fiduciário nada mais é do que regras para assegurar que todo aquele que administra dinheiro de investidores atua para resguardar os interesses dos beneficiários.

Os deveres mais importantes são:

Lealdade: os agentes devem atuar com boa-fé para resguardar os interesses dos investidores, evitando conflitos de interesse e não atuando para satisfazer seus próprios interesses;
Prudência: os agentes fiduciários devem atuar com especial cuidado, perícia e diligência, realizando investimentos como faria “uma pessoa normalmente prudente”.

Se você quer saber mais, recomendamos esse excelente artigo.

Publicado por

Herval Filho

Conselheiro Deliberativo da Petros, eleito suplente na chapa de assistidos, juntamente com José Roberto Kaschel Vieira, para um mandato de 04 (quatro) anos , no período de 26/11/2019 a 25/11/2023.

8 comentários em “Dever fiduciário

  1. Perfeito o que comenta o Sérgio Weiter. É público e notório o que aconteceu. E então Srs Conselheiros, o que têm a considerar?

    Curtir

    1. Prezado Luiz Neves, o principal objetivo em termos criado essa área no menu do blog foi, antes de tudo, pedagógico. É sabido e notório que nós, inclusive eu, acreditávamos que algumas premissas eram observadas e seguidas na Petros, dentre estas o citado dever. Objetivamente, o que temos a considerar são as ações que desencadearam numa operação policial, deflagrada pelo Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público (MP), batizada pelo codinome de “Operação Greenfield”, que investiga desvio dos fundos de pensão, dentre eles a Petros, bancos públicos e estatais, operação esta iniciada em 05/09/2016, cujo montante gira em pelo menos R$ 8 bilhões. Finalizando, o que temos também a considerar é que temos feito o nosso papel de cobrar ações da área jurídica da Petros, no sentido de reaver aos cofres da Petros aquilo que nos foi subtraído.

      Curtir

      1. Saudações Herval
        Com certeza reconhecemos o esforço destes conselhos desta gestão.
        A Op. Greeinfield de 2016 foi um ponto de partida para reaver 8 bi desviado, então, tem como nas informar quais são os processos e seu andamento???
        Li meses atrás que havia condenação de um grupo bem grande. Aliás onde a Petrobrás fica nesse imbróglio?? Isenta???
        Não vejo ação para responsabiliza-la, uma vez que a presidências foram indicadas pelo PT.
        Aguardo e obrigado
        Marcos

        Curtir

      2. E como está as dívidas que a Petrobras tem com a Petros? Também estão sendo cobradas na justiça?
        Gostaria de maiores informações.

        Curtir

        1. Sérgio, no final de 2019 a Petros ajuizou quatro ações voltadas para o ressarcimento de déficits. Acredito que pelo pouco tempo decorrido até então, esses processos ainda estejam na fase inicial e, portanto, sem maiores informações.

          Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão encerrados.