Prezados participantes, o Conselho Fiscal é o órgão de controle interno da Petros e, nesse sentido, tem um papel fiscalizador, além de emitir pareceres sobre as demonstrações contábeis anuais da Fundação, recomendando ou não a sua aprovação, além de outras funções, cujo objetivo primordial é o de garantir as boas práticas de gestão da Petros.

Nesses primeiros seis meses de gestão, adotamos uma postura técnica e independente, sem interferências internas ou externas, e realizamos ao todo 32 (trinta e duas) reuniões entre ordinárias, extraordinárias e de alinhamento de ações. Uma média de mais de 5 (cinco) reuniões/mês.

Em diversas dessas reuniões são convocadas as gerências que apresentam relatórios e atos de gestão pertinentes às suas áreas de atuação, prestando contas quanto aos resultados e implementação de controles, seja de gestão ou de risco atuarial.

Dentre outros assuntos fazem parte da pauta, temas inerentes às nossas atribuições, tais como:

  • Governança (deliberações da Diretoria Executiva e do Conselho Deliberativo);
  • Plano de Trabalho do Conselho Fiscal;
  • Acompanhamento da Política de Investimentos;
  • Monitoramento de Contratações;
  • Matriz de Providências, oriunda dos Relatórios de Controles Internos;
  • Matriz de Riscos Operacionais e Riscos Estratégicos;
  • Autoavaliações de controles internos e
  • Frentes de Ações oriundas das ressalvas e recomendações dos pareceres dos balanços patrimoniais anteriores.

Nós, Conselheiros Fiscais, Linaldo Coy e Tereza Soares, atuamos em colegiado nas seguintes atividades, mesmo com as dificuldades impostas pelo Isolamento Social:

  • Estudos de aderências das hipóteses biométricas, demográficas, econômicas e financeiras às características da massa de participantes e assistidos e do Plano de Benefícios de caráter previdenciário;
  • Parecer Anual do Balanço Patrimonial 2019;
  • Análise e Aprovação de Relatório de Controles Internos (RCI), 2º semestre de 2018, 1º semestre de 2019 e 2º semestre de 2019;
  • Relatório Técnico de Controles Internos específico de Riscos Atuariais, para subsidiar o Parecer Anual do Balanço Patrimonial 2019 e atender legislações do CNPC;
  • Parecer sobre revisão da Taxa de Juros dos Planos PPSP-R e NR;
  • Parecer sobre anuir transferência de patrimônio entre Planos;
  • Revisão do Regimento Interno do Conselho Fiscal, para aprovação do Presidente da Petros (em andamento);
  • Mapeamento dos processos das atividades do Conselho Fiscal (em andamento) etc.

A título de esclarecimento, e visando eliminar dúvidas das Demonstrações Contábeis de 2019, onde foi recomendada sua aprovação, após 16 anos de não recomendação quanto a correta escrituração de contas, informamos que demonstrativos foram submetidos ao parecer de auditoria externa (KPMG), que possui atuário no processo de validação do critério adotado e da CONSULTORYS, empresa de consultoria que presta assessoria ao Conselho Fiscal na emissão de diversos pareceres, dando respaldo técnico.

As Normas Brasileira de Contabilidade, a CNPC 29/2018 e a SPC Instrução PREVIC 34/2009, geram obrigações legais pertinentes a Balanços Patrimoniais da Petros. Anualmente, são encaminhados para a PREVIC (órgão fiscalizador da Petros), os seguintes documentos:

  • Balanço Patrimonial Consolidado comparativo com o exercício anterior;
  • Demonstração da Mutação do Patrimônio Social – DMPS (consolidada) comparativa com exercício anterior;
  • Demonstração do Plano de Gestão Administrativa – DPGA (consolidada) comparativa com o exercício anterior;
  • Demonstração do Ativo Líquido – DAL (por plano de benefícios providencial) comparativa com o exercício anterior;
  • Demonstração da Mutação do Ativo Líquido – DMAL (por plano de benefícios providencial) comparativa com o exercício anterior;
  • Demonstração das Provisões Técnicas do Plano de Benefícios – DPT (por plano de benefícios providencial) comparativa com o exercício anterior;
  • Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis consolidadas;
  • Parecer do Conselho Fiscal;
  • Manifestação do Conselho Deliberativo relativa à aprovação das Demonstrações Contábeis;
  • Relatório do Auditor Independente sobre as demonstrações contábeis;
  • Relatório circunstanciado sobre as deficiências de controles internos.

Quanto às recomendações dos exercícios anteriores a 2019, que motivaram a sua não recomendação de aprovação pelo Conselho Fiscal, registramos que foram criadas frentes de ações saneadoras daquelas anotações visando monitorar o andamento das soluções. Algumas delas são passíveis de retorno favorável aos Planos.

Adicionalmente, informamos, que as recomendações anteriores a 2019 não sofrerão descontinuidade com a recomendação de aprovação das demonstrações de 2019. Assim sendo, nada impede o ajuizamento de ação em desfavor de quem deu causa aos prejuízos pretéritos já registrados e contabilizados naqueles exercícios, mas com o devido cuidado de observar o instituto da “Prescrição”.

Alertamos para o fato de que as recomendações dos pareceres do Conselho Fiscal fazem parte da pauta permanente de assuntos das reuniões ordinárias e são insumos para o Plano de Trabalho do Conselho Deliberativo.

Durante nossa análise de caráter EXTREMAMENTE TÉCNICO, constatamos relevantes resultados apurados nas frentes de ação e que não sofreram nenhuma interferência, seja interna ou externa.

RAZÕES DA APROVAÇÃO DAS CONTAS

Os elementos necessários e legais que resultaram na recomendação de aprovação são:

Natureza JURÍDICA

  • Judicialização das dívidas das Patrocinadoras ou Notificações Extrajudiciais, com processos em curso;
  • Contingencial Jurídico, Ajustes na Contabilização de Depósitos Judiciais, Reclassificação das Expectativas das Ações, quanto ao Sucesso (Possível, Provável e Remota), com reflexo positivo no resultado de 2019.

Outras Naturezas

  • Criação das Comissões de Investigação Interna e Externa – CIA e CEA, em processo de contratação da parte investigatória, no sentido de dar celeridade ao mesmo;
  • Reestruturação Organizacional – Aprovada pelo Conselho Deliberativo;
  • Novo Plano de Equacionamento – NPP, aprovado pelo Conselho Deliberativo, com a anuência das associações e demais entidades;
  • Cisão dos Planos Pré-70 (R/NR);
  • Otimização de Custos;
  • Redução de Mão-de-Obra Direta;
  • Melhoria da Gestão dos Investimentos da Fundação, haja vista o excelente resultado do exercício de 2019 e
  • Evidente evolução do processo de Comunicação dos Atos de Gestão da Fundação, como por exemplo, os inúmeros informativos periodicamente divulgados.

Registramos, também, que a responsabilidade de divulgação formal ou mesmo de dar respostas a respeito dos Atos de Gestão da PETROS, é competência tão somente do seu Presidente.

TRANSPARÊNCIA

Na função de Conselheiros Fiscais, nos comprometemos, durante a Campanha, divulgar informações que não fossem sensíveis em respeito aos limites impostos por requisitos legais e estatutários, além respeitar a blindagem (sigilo) quanto à Segurança da Informação e em consonância com a Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, obrigatória a partir de agosto de 2020.

Acrescentamos que, juntamente com os demais membros do Conselho Fiscal, estamos dando continuidade às nossas atribuições com recomendações internas, que não justificam e não motivam a sua gravação em Parecer, mas que carecem de acompanhamento e controle.

Dúvidas e/ou reclamações sobre Gestão da Fundação, podem ser encaminhadas através dos canais formais da Petros ou para nós, Conselheiros Fiscais Linaldo Coy e Tereza Soares, que responderemos através do Blog Renova Petros. Por gentileza, coloquem no assunto da mensagem “CONSELHO FISCAL” e o endereço eletrônico blogrenovapetros@gmail.com.

Doravante, emitiremos Notas de Esclarecimentos quanto às nossas atividades para que sejam acompanhadas por todos os participantes.

Coy e Tereza

132 comentários em “Parecer sobre as Demonstrações Contábeis de 2019”

  1. Prezados Tereza e Coy. Parabéns pela formatação das informações e esclarecimentos apresentados. Didática, transparência e exatidão. Excelente.

    1. José Lindolfo Magalhães

      Só me mata uma curiosidade : Este e-mail me parece ser de alguém próximo da Ambep. Certo? Vou aguardar resposta para me posicionar.

  2. Fico grata com a nota de esclarecimentos (tem alguns assuntos que não conheço), mas será que a divulgação dos valores relativos ao NPP que tem sua implantação para o próximo pagamento podem ser divulgadas pela PETROS ou é uma questão de sigilo?
    Os números apresentados pelo Presidente da PETROS em novembro/2019 tiveram alterações devido à “O equacionamento abrange os déficits de 2015 e 2018 e incorpora resultado de 2019.”,constante do informativo da PETROS sobre o novo equacionamento.

    1. Luiza, São os valores globais, que serviram de base para se chegar aos percentuais? vou verificar? No dia 15/06, será disponibilizado o simulador dos valores devidos em função das liminares.

    1. Olá Ana, é nossa obrigação esclarecer, ser transparente. Gostamos do seu feedback. Estaremos sempre caminhando com a verdade.

  3. Seria importante e salutar, aos Planos principalmente os deficitários, e aos Participantes que receberam no colo, ou melhor, nos Contracheques, uma Conta colossal a pagar sem ter dado causa, que as “Razões” de “Natureza Jurídica”, fossem detalhadas e explicitadas. Até então, considerando as Reprovações de 16 anos, não é do conhecimento dos Participantes, significativas providências por parte da Administração da PETROS, entenda-se Diretoria e Conselhos, a busca de Ressarcimentos e Responsabilização da Patrocinadora e ex-Gestores, pelos prejuízos causados a PETROS e seus Assistidos, cujos Déficits vem sendo imputados a quem religiosamente cumpriu com suas obrigações por 30, 40 ou mais anos de sua Vida, sendo agora espoliados desavergonhadamente.

  4. José Lindolfo Magalhães

    Prezados amigos participantes:
    Eis as minhas “percepções” à lua do que vi, vejo, li e leio!
    Tentaram fazer a pasta de dente voltar para o tudo novamente, sem perdas. IMPOSSIVEL!

    É como o médico, que lê os exames médicos e dá laudo de que o paciente está bem e este paciente vem a morrer meses seguintes.
    O cliente não entende de exames, de seus meandros, e ao confiar no seu médico, se deu mal!

    Parece muito a foto do então eleito Presidente Dr. Tancredo Neves, sentado no sofá, retirado às pressas da UTI para a foto enganadora e feita para fins outros inconfessáveis, ao lado de dois médicos sorridentes, efusivamente transmitida para o mundo, com os médicos dizendo …ele está bem e vai melhorar, olha o sorriso dele…Esta parte dos livros de nossa história e seu trágico desfecho, todos conhecem!

    Sinto-me enganado e traído pelo que foi dito pelos candidatos na campanha eleitoral, principalmente em palestras das quais participei, onde tive oportunidade de reportar alguns temas aos distintos Conselheiros, então candidatos à época.
    O lamentável é que, de forma indelével, este tema ainda vai respingar em PJ´s e suas imagens públicas, como já começou a respingar.

    Eu sempre pensei que o correto é “resolva primeiro as pendencias que depois aprovo”, mas vejo que o que foi feito foi “aprovo primeiro esperando que as pendencias sejam resolvidas”.
    Há pendencias que existem há anos e não foram resolvidas. Basta ler! Há promessas de solução da Petros há anos, a despeito de diversos apontamentos (nos relatórios anteriores do Conselho, denúncias nos canais da Petros, de cartas abertas, notificações, informes de entidades, etc.)
    Há inclusive as pendencias relativas a fatos públicos, graves, relacionados a desvios de conduta, que caminham para a prescrição, para alegria de terceiros, fatos que já deveriam ter sido apurados há anos, pois, se confirmados, contribuíram para os déficits, com prejuízo financeiro, psicológico e moral na vida de milhares de participantes. Lamentavelmente estes fatos ainda podem contar com as procrastinações corporativas que se servem de posturas indignas para que sejam esquecidos e nós, os injustamente prejudicados, continuemos por eles pagando até o fim de nossas vidas.
    Por que encantos agora e por que forças ocultas eis que vamos acreditar na Petros agora?
    Seria mais digno a RENUNCIA!
    Isto não vai e não pode ficar assim! Sou pequeno, mas não me rendo a “encantos”.
    Neste momento, tenho duas coisas a fazer:
    a)Pedir desculpas a todos meus amigos pelo empenho que fizemos para eleger estes colegas;
    B)Aguardar os reflexos de outras providencias e os próximos acontecimentos.

    e.t.: antes que acólitos venham me criticar, eu sugiro que leiam antes os relatórios anteriores e se inteirem das consequências contábeis e legais da aprovação de contas.
    Forte abraço a todos.
    Lindolfo, em 13 de junho de 2020

    1. Lindolfo, veja como somos democráticos. Você não lerá uma crítica da minha parte a seu respeito, nem cerceamento da sua opinião, nem tampouco nenhum julgamento da sua conduta moral e ética.
      Eu não o conheço suficientemente para lhe julgar com a rapidez que você faz de mim e dos demais conselheiros que diz ter apoiado. Eu acredito que sim, você nos apoiou, até recentemente; porque acho que você tem palavra.
      Contudo, você julga o caráter dos outros pela sua régua moral sem conhecer a minha. Reitero: eu não vou te julgar. O tempo será o juiz.

      Em tempo: tinha você como um amigo e conselheiro com críticas frontais e nunca pela retaguarda

    2. José Lindolfo Magalhães

      Caro Herval: lamento que tenha assim se expressado e entendido. Não quero polemizar (e nem postarei mais sobre este tema) mas preciso esclarecer. Não deixo, por nada! repito, por nada! de postar minhas posições, há anos! E o tenho feito publicamente. Publicamente tenho dado a cara para apanhar e tenho apanhado bastante!Tenho em meu dispositivo arquivos inteiros dos Grupos de Whatsapp que coordeno desde sua criação há aproximadamente tres anos, de assinaturas de cartas diversas e notificações que fizemos, sempre com posições claras, e fundamentadas. Posso rastrear fatos rapidamente. E não me furto a tentar, repito, tentar clarear postagens e debates que são feitos nos grupos que coordeno e nos de que participo. E não me furto a atuar junto com formadores de opinião, que possuem visão não comprometida, para alinharmos nossa linha de conduta. É um direito nosso, tal como vocês fizeram de concluir suas posições ouvindo somente “o outro lado” e seus pares. Se vocês possuem este direito, não podem exigir que os outros não o tenham. Se não foi dada aos paticipantes igual oportunidade de ANTES conhecerem alguns posicionamentos antes de serem tornados oficiais, com todos os recursos disponiveis atualmente, onde, se desejado, debates poderiam ter sido feitos com as cautelas necessárias, se isto não foi feito, em respeito a quem os elegeu e esperou novos tempos, transparencia, etc. é de se lamentar, como lamentando estamos, ainda que de forma inócua, sabemos! Agora, rebati postagem publica, com os instrumentos que publicamente foram colocados e dispostos. Se não o fizesse, haveria a “percepção” de que “quem cala consente”. Lembro que há alguns fatos que foram levados aos Conselheiros. Há outros documentos públicos meus, com assinaturas diversas. Há inúmeros outros registros só para lembrar. Há cartas abertas publicas com inúmeras assinaturas publicas, repito. Lamento que entenda desta forma e respeito. Mas não concordo pois não resiste aos fatos. É só e nada mais postarei neste Forum em relação a este assunto, vez que seus contornos e consequências estão claros, públicos, e, ao que ainda parece, irreversíveis, indelével e lamentavelmente. Vida que segue…irremediavelmente, com sorrisos para alguns, lagrimas e resignação para outros.Enfim….. é á vida… Fortíssimo abraço a todos

      1. José Guilherme Monteiro Paixão

        Exatamente Lindolfo. Estou me sentindo como sempre me senti com a política de nosso país durante eleições, em que os discursos não se realizam na prática. Lamentável mas esse é o meu entendimento. Estive na empresa Petrobras por 42 anos, abdiquei muitas coisas da minha vida para me dedicar de corpo e alma ao meu trabalho no qual fui um fascinado e muito me orgulho. Não me preocupei com a Petros por entender que estávamos lidando com pessoas honestas, éticas em sua gestão, mas fui enganado, amadureci tarde demais quanto a isso. Estou me convencendo de que nada mudou e agora então estou perdendo minhas esperanças, pois entendo que nada mudará nesse mecanismo criado para nos roubar. Agradeço pelo seu empenho em poder deixar claro tecnicamente para mim e para muitos tudo isso que aconteceu e vem acontecendo. Particularmente lutarei contra tudo isso até a minha morte. Não mais ficarei sentado acreditando e esperando algo, principalmente partindo dos ditos “companheiros” que dizem nos representar. Vivendo e aprendendo.

        1. Prezado José Monteiro,
          Eu também trabalhei por muitos anos na Petrobras. Também deleguei aos outros a função de fiscalizar os rumos da Petros. Não sou um “companheiro” na acepção da palavra. Não sou desonesto como alguns tentam insinuar sem base ou conhecimento daquilo que falam.

          Você tem o direito de acreditar em quem quiser, mas não pode continuar a acreditar em tudo e em todos, como assumiu ter feito no passado. Em 6 meses de Conselho, você e alguns, estão julgando um trabalho que estamos tentando fazer num mandato de 4 anos. Será que você não está sendo, no mínimo, precipitado? Vivendo e aprendendo.

      2. Aê Colegas!
        Estive na Petrobras por quase 40 anos, ligado ao E&P, a maior parte desses anos no Edise, alguns poucos meses em equipes sísmicas.
        O que me leva a fazer este comentário, é o atual estado de coisas; Num início de 2020 extremamente caótico, temos a aprovação das contas da Petros que estiveram desaprovadas por mais de 14 anos sucessivos e aí eu faço a óbvia pergunta: Como descontinuar aquelas desaprovações e dar um salto no ar para aprovar as atuais? É razoável entender a urgência urgentíssima da Petros nessa aprovação, pelos motivos óbvios, mas o compromisso desse conselho é com os beneficiários e com a perenidade do plano. Quem contratou a KPMG? Foi a Petros? É mais que possível, provável, pela sua necessidade de ver aprovado esse NPP. Acompanhei o nascedouro desse blog, mas como não tinha votado nos seus signatários, deixei de lado. Um primeiro pedido é que vocês listassem aqui todos os conselheiros, quer fiscais ou deliberativos, com os seus respectivos e-mails, existe a necessidade urgente de contatá-los, a todos. Esse NPP pode nos trazer notícias desagradáveis num futuro próximo, veremos! A contribuição normal flutuante desfará toda a espuma de uma contribuição extra fixa, o novo regulamento que elimina o artigo 48, trará grandes embates judiciais, os grandes escritórios já salivam com essas novidades inconsistentes. E para complicar ainda mais, tratam de forma desrespeitosa e ilegal (ex-tunc) as liminares pretéritas, querendo impor um acordo extrajudicial na sua cobrança e tudo isso com o aval de parte dos conselheiros deliberativos e fiscais, pasmem! Suspensão não é Revogação.
        E quando parecia que as novidades já transcendiam o razoável, a Petros me aparece com um aceite sutil desse novo plano, travestido de simples adesão àquelas cobranças pretéritas. Existe um esforço para uma solução amigável, negociada, parece! porém tem muita coisa pendente no judiciário, a começar pelo julgamento pelo Pleno do STJ de uma infinidade de agravos, onde foram suspensas mais de 300 liminares, portanto tenhamos atenção nisso tudo, devemos estar preocupados com os destinos do nosso Fundo, ao que fazem com ele, porque senão pagaremos um peso demasiadamente caro com esse descaso e imediatismo irrefletido, digo descaso, mas na realidade se trata de uma volumosa desinformação dos nossos colegas em plena revolução das mídias sociais, pois infelizmente uma parte significativa dos nossos, não lidam muito bem com esses espaços cibernéticos, a idade e os meios para tal são os principais responsáveis e a Petros tem consciência disso e usa todo o ferramental que estiver à disposição, inclusive o humano.
        Recebam os meus respeitos cordiais. (WW).

      3. Caros conselheiros,
        Meu parco conhecimento, me induz a questionar a aprovação das demonstrações contábeis do exercício de 2019, entendendo que as contas não aprovadas desde 2002 ou 2003 tiveram sua razão de ser e os apontamentos que levaram o conselho fiscal a não aprovação, produziram efeitos subsequentemente se não sanados. Portanto, pontos não sanados no decorrer de 16 anos ou parcialmente sanados necessariamente continuam a produzir efeito nas demonstrações contábeis.
        Aprovar as demonstrações contábeis de 2019 e deixar os apontamentos que determinaram as não aprovações por longos e seguidos 16 anos para ser apreciado nas reuniões ordinárias, a mim parece uma tentativa de “passar a borracha” no passado, que inevitavelmente levará ao esquecimento e/ou não adequado tratamento em questões que produziram e continuarão a produzir reflexos patrimoniais.
        Peço a gentileza de esclarecer.
        Att Adilson Fioravante
        0022155-2

        1. Caríssimo Herval, já o fiz antes da postagem, motivo pelo qual a mantenho, aguardando esclarecimentos convincentes e não lacônicos, sem qualquer conteúdo.
          Grato

      4. Quando me propus apoiar, fazer campanha e votar para a eleição dos atuais conselheiros, acreditei no propósito reafirmado por estes de que passariam a Petros à limpo, que não seriam apenas mais um conselheiro, e sim, conselheiros que se propunham a atuar com o rigor que a legislação lhes confere, que jamais se deixariam cooptar ou serem coniventes com situações indesejadas. Seriam os fiscais do nosso patrimônio e impediriam que situações de pura negligencia praticadas ao longo de muitos anos pelas administrações fossem mantidas.
        Tivemos recursos desviados, gestões fraudulentas, investimentos temerários e as dívidas das patrocinadoras que não foram cobradas, certamente apostando na prescrição das mesmas. Esses e inúmeros procedimentos reprováveis levaram a Petros ao estágio atual e que impõe cobrança abusiva de seus mantenedores e beneficiários.
        Para nosso espanto e arrepio da lei até conselheiro que responde a processo na justiça por improbidade, movido pela própria Petros, se encontra em pleno exercício das suas funções. No minimo absurdo esse procedimento, que conta com a anuência ou omissão da atual administração.
        Pois bem, com todas essas questões polêmicas e gestões questionáveis, os Conselheiros por 16 anos não aprovaram as contas da Fundação, apesar de criticados pela categoria por inúmeros atos questionáveis. Por essas e outras razões buscamos renovar nas últimas eleições. Apostamos numa atuação condizente com as propostas dos candidatos e que atenderiam aos anseios da categoria.
        Pois bem, logo agora, com Conselheiros que acreditavamos nos representar de fato e que Iriam obrigar a Petros a cumprir com as suas obrigações face aos inúmeros problemas com solução postergada há anos, prejudicando a saúde financeira do Fundo.
        Para nossa surpresa as contas de 2019 foram aprovadas na contra mão do que era esperado e mais uma vez nossas expectativas se viram frustradas, e que, certamente, implicará em mais prejuízos à categoria.
        Acreditamos que os Conselheiros se deixaram seduzir pelos argumentos e promessas que jamais serão cumpridas, a exemplo de tantas outras do passado.
        Dessa forma a Petros seguirá “impunemente” achacando seus mantenedores e beneficiários, como tem feito, e a partir de julho mais uma imposição absurda pesará nos contracheques daqueles que acreditaram que teriam uma aposentadoria em paz e tranquila.
        Cabe-nos admitir uma profunda frustaçao com os votos sufragados. Resta-nos a incerteza de que teremos um futuro promissor sob a atuação dos conselheiros eleitos. Mais uma decepção para enorme coleção.

        1. Prezado Fernando Quaresma,

          Sinceramente, não vou deixar sem resposta. Passamos tantos anos sendo enganados, roubados, massacrados e sem sequer ter um espaço, como esse, para o seu desabafo e de muitos, e agora, com 6 meses de mandato, você está nos julgando!!

          Dizer o que? Paciência.

        2. Prezado, Observe que o Sr. apresentou argumentos do passado, que não temos como modificá-lo, a não ser com as ações que estão sendo providenciadas, que certamente terão reflexos em nosso futuro. Use este instrumento para sugerir e realizar críticas construtivas. Cooptar, é muito grave!!!. Tem resposta que requer pesquisa e encaminhamento, as quais daremos logo após o retorno do Isolamento Social.

      5. Prezados Conselheiros da Petros,

        Nunca me preocupei em olhar ou conferir os Relatórios Anuais de Balanços da Petros, isso porque confiava cegamente na Petros, não tenho expertise em Contabilidade, não tenho formação Acadêmica, etc…. Mas, no final de 2017 fui informado, que a partir de 2018 iriamos ter uma contribuição extra para com o fundo, em detrimento de um déficit de 27 bilhões de reais… E para meu espanto, já a partir de mar/2018 passei a receber algo em torno de 40% a menos na minha aposentadoria e, que o tempo de duração das contribuições extras seria por 18 anos. Busquei esclarecimentos, cobrei transparência na demonstração dos valores estratosféricos do déficit e, até hoje não obtive respostas dos itens que geraram o déficit.

        Através dos meios de comunicações e Entidades Públicas como: MPF, PF… tomei conhecimento que a grande parte do déficit foi causado por Investimentos temerários, dívidas das Patrocinadoras, Má Gestão dos Dirigentes do Fundo que, diga-se de passagem foram nomeados pelas próprias Patrocinadoras…

        Depois de tudo, vem o NPP com todas as suas nuances, que será implantado em final de jun/2020, que os que tem expertise no assunto, estão afirmando que vai aliviar a vida dos Participantes e Assistidos, só que será vitalício. Vamos aguardar para ver…

        Para não me alongar mais nos assuntos, que se assim o fizesse, iria digitar algumas páginas. Mais uma vez, tomei conhecimento por informações que o Relatório do Balanço Anual referente ao ano de 2019 foi aprovado pelos Conselheiros sem restrições e, que os Relatórios Anual anteriores, talvez 16 Relatórios, foram aprovados com restrições (restrições essas que também desconheço) e, esse Relatório de 2019 foi aprovado sem restrição. Agora pergunto, as restrições foram sanadas??? Se foram os Srs. poderiam apresentar as soluções que foram encontradas para as restrições ou, são dados sigilosos???

        Observo, que não estou duvidando ou colocando em dúvida a idoneidade ou honestidade de quem quer que seja, apesar de não mais confiar cegamente na Petros como acreditava. Só estou buscando a veracidade das informações recebidas e, informo que como Participante ou Assistido tenho direito em saber da veracidade dos fatos.

      6. Sérgio Salgado - pré 70 - matrícula 319531 - (013) 99705-6723

        Meu caro Wanderley, Lindolfo, Oscar, conselheiro Coy, demais comentaristas, boa tarde!!!
        Não resta, a mim ao menos, a menor dúvida, quanto ao erro cometido na aprovação das contas pelos conselheiros eleitos. Claro sempre ficou que a posição do conselheiro era cumprir suas propostas de campanha eleitoral. Entendo que suas propostas durante a campanha fossem essas (exatamente as da FUP e da FNP) a Ambep não os teria indicado, eu jamais os teria indicado e vocês nunca teriam sido eleitos.
        Fomos enganados!!!!!
        Era tudo o que os inimigos do nosso plano BD pretendiam. A FUP e a FNP estão em êxtase e, certamente, comemoraram com champanhe, reconhecendo que ao perderem a batalha das eleições, ganharam a guerra na luta que ambas vêm fazendo para destruir de vez o PPSP.
        O artigo ontem postado perde um espaço enorme em apresentar absolutamente nada do ponto de vista técnico, contábil, atuarial ou documental. Alegar que só o Bruno tem direito em mostrar para nós documentos que nos afetam diretamente, vai contra discussões que tivemos durante as apresentações em que participei, como colaborador a pedido da diretoria da Ambep, com os conselheiros eleitos via apoio da Ambep, em especial com o problema de saúde que atingiu o Raul (e que, ainda que doente, em conversa em que mantivemos ao final do ano passado, era contra a proposta do Bruno).
        São 16 anos de contas recusadas, onde eu e o Oscar, suplentes no CF, participamos das discussões de 4 dessas desaprovações. Em meu caso, vide pareceres 2007 a 2011. O Oscar, vide pareceres de 2009 a 2013. Noventa por cento ou mais das situações elencadas pelo Fernando Siqueira, meu titular e/ou pelo Sílvio Sinedino, titular do Oscar, para desaprovação das contas no período 2007 a 2013, permanecem no obscurantismo, ou seja, os gestores da Petros e sua patrocinadora não fizeram absolutamente nada para sanar um déficit que vem sendo trazido subjetivamente, pela falta do aporte inicial da Petrobrás, desde a fundação da Petros (grupo Pré-70), exceção ao Acordo de 1996, eminentemente um acordo atuarial. Os acordos seguintes, sempre apuraram os problemas, tentando sua solução via acordos financeiros, daí a permanência constante de saldos de dívidas colossais.
        Sou Pré-70 e afirmo que todas as questões relacionadas às recusas que são referenciadas ao Grupo Pré-70 permanecem vivas e a Cisão, decidida em 2019, mantém um déficit dentro do grupo Pós 70 de mais de R$ 4,5 bilhões. Portanto a aprovação das contas e as justificativas dadas pelos conselheiros fiscais e pelo Conselho Deliberativo, tentam selar uma nova imoralidade.
        Alegar os motivos jurídicos acima não engana nenhum estagiário em direito (e eu não sou advogado), pois se tal estagiário aceitar o que ali escrevem, com certeza não deixam nem entrar na sala para fazer o exame da OAB.
        Quando chegamos ao conjunto seguinte, sobre as razões de outras naturezas para justificarem a aprovação das contas, o “detalhamento” do Coy assusta.
        Nossas contas foram aprovadas porque permitem minimizar custos e reduzir mão de obra direta? Meu Deus, isso é um Fundo de Pensão e nele há necessidade de um quadro primoroso de pessoal qualificado para produzir resultados que superem nossa meta atuarial.
        O que você quer dizer com reestruturação organizacional para aprovar as contas? Alterar o plano, sem a nossa participação, para adequá-lo às medidas que interessam à patrocinadora?
        O resultado alcançado em 2019 é fruto da situação do mercado acionário e dos juros elevados dos títulos públicos. Ser eficiente é ganhar exatamente quando o mercado é derrubado (nunca se deve esquecer, fundos de ações eficientes conseguem ganhar na alta e na baixa). Indiquem algum dos fundos de pensão que tiveram perdas em 2019. Em nosso caso acabamos perdendo o possível superávit por conta da redução necessária (?) nos percentuais das metas atuariais para R e NR.
        Em relação à aprovação do NPP, da mesma forma que milhares de pós 70 batem palmas (exceção aos que ganham pouco e tiveram aumento elevado em suas contribuições para esse déficit, portanto os baixos benefícios subsidiarão os altos benefícios), há outros milhares que reconhecem aquilo que vimos apontando há longo tempo e percebem que entramos em uma rota sem retorno.
        Viramos um CD, pois, conforme colocado pelo Wanderley, a contribuição normal flutuante eliminará os próximos déficits e, se muitos dos pós 70 tiverem uma vida bem mais longa, poderão se surpreender mais adiante quando a contribuição normal flutuante igualar ou mesmo ultrapassar o valor dessa contribuição extraordinária.
        A aprovação da proposta pelas entidades sindicais e as de aposentados (exceção ao Gdpape), não se deu de forma democrática na grande maioria delas, face ao interesse dos conselheiros eleitos da FNP/Fenaspe e da FUP durante o debate inicial do Grupo de Trabalho (alterado depois com a entrada do Bruno em cena) em obter esse resultado. Digo isso com conhecimento de causa. No sindipetro LP fomos atropelados por participantes que nunca foram associados e que votaram para que eu, sócio há 50 anos, não tivesse o direito constitucional de entrar com ação através da nossa entidade sindical. E isso aconteceu pela atuação de uma diretoria, cuja maioria é do PP2.
        Sem contar que durante todo o período das eleições os conselheiros eleitos pela Ambep (e por mim – alguém me perguntou se havia outros para eleger e eu respondi que naquele momento havia somente eles, considerando as propostas que elencaram à direção da Ambep) usaram exatamente dessa argumentação de falhas gritantes nas contas recusadas, com dívidas seculares permanentes e desvios e crimes em apuração pelo MPF. Então, enquanto candidatos, sabiam dos problemas e as metas a serem percorridas para permitir resolver nossos problemas, eleitos, caíram nos braços de quem tanto criticaram??? As fotos de braços dados com esses outros eleitos são enojantes.
        Deixei para o final comentar dois pontos absolutamente nevrálgicos da tentativa de “explicação” TARDIA do conselheiro Coy eleito pela Ambep.
        O primeiro deles, sendo o Coy contador, sua razão ao afirmar que aprovou as contas, em função do Bruno dizer que, tudo o que fez parte dos 16 anos de história (segundo o Brandão em postagem recente – o mais assustador é que ele, o iniciador dessas desaprovações, em 2003, não fez qualquer crítica aos atuais conselheiros eleitos – que não fazem parte do seu grupo político) estarão contemplados em CIA´s e CEA´s é digno de uma medalha. Conforme dito pelo Lindolfo, você primeiro aprova as contas para depois ir buscar – através dos interessados diretos em nada fazer, que são os gestores indicados pelo Governo Federal – como reparar ou uma forma de resolver as pendências seculares?
        Coy, isso não existe, não resiste a qualquer comentário mais sério e, se você, for contador e tiver seu registro de ordem, com certeza, poderá ter esse registro cassado.
        E fecho com a questão TRANSPARÊNCIA. Isso, ao menos nas 6 vezes que estive presente às apresentações de vocês (Ambep-Santos por duas vezes, Ambep-RJ, debate Petros, Macaé e Campos), era uma das principais questões a serem encaminhadas por vocês, se eleitos. E agora que estão eleitos, se calam e arrumam como desculpas que isso está a cargo do gerentão da Petros?
        Vocês aprovaram as contas e não temos qualquer documento, sequer as atas com os votos e as devidas justificativas técnicas das assessorias atuariais e o que você faz é o mesmo que estavam fazendo os eleitos anteriores. Assinaram um TAC e não têm a decência de torná-lo público. Vocês estão tratando com o nosso dinheiro, com nosso futuro e arrumam esse tipo de conversa.
        Portanto, onde que renovamos na Petros??????????
        Sérgio Salgado – Pré-70
        PS1 – o Tedesco recusou as contas durante 10 anos (4 vezes como conselheiro fiscal, sendo que em
        duas dessas vezes, como seu presidente e por maioria absoluta dos votos). Com a aprovação das contas pelo Conselheiro da Ambep neste parecer de 2019, ele teve a oportunidade de manter sua credibilidade e sua coerência – sinais inequívocos de honestidade moral. Porém, questionado várias vezes, não afirmou que, como conselheiro deliberativo eleito, manteve a desaprovação das contas – ainda que sendo vencido no voto, como nas demais 6 vezes anteriores (verdade seja dito, também não afirmou que aprovou, mas…).
        PS2 – uma única pergunta técnica, qual o motivo pelo qual a gestão Petros orçou R$ 6,7 bilhões para 2019 e realizou R$ 11,9 bilhões, portanto quase 77% a mais

        1. José Lindolfo Magalhães

          Cabe ao Conselho Fiscal responder esta e as demais postagens (TODAS), vez que, em primeira instancia, o tema diz respeito ao Conselho Fiscal.

        2. Sr. Sergio Salgado, este instrumento de comunicação tem como objetivo, a troca de informações e dar conhecimento, aos atos dos conselheiros eleitos em 2019. Usá-la como o poço de críticas destrutivas, apimentadas de claras ofensas, tanto aqui como nos grupos, é no mínimo insano. O Objetivo da Nota foi demonstrar a motivação da recomendação de aprovação das Demonstrações Contábeis. Se não se der por satisfeito pode apresentar via outra ferramenta de comunicação, meu email por exemplo, para que eu possa atuar ou encaminhar, como o fiz, com relação a uma Notificação Extra Judicial, apresentada pelo Sr. a PETROS e me copiando. Só não monitorei, se foi respondida, afinal estou fora da PETROS há mais de 120 dias, mantendo comunicação através de vídeo conferência. Mantenho o meu compromisso de TRANSPARÊNCIA, e de não vinculação a nenhuma entidade. Se caminharmos com respeito e profissionalismo atingiremos o nosso objetivo comprometido, ai sim, vamos evoluir, até para admitir quando errar, se for o caso.

      7. Prezados Conselheiros Coy e Tereza. Votei e fiz campanha para renovação do Conselho Fiscal e CD. Que decepção com a aprovação das contas de 2019 . Vocês estão na Ilha da Fantasia com certeza.16 anos sem aprovação pelo Conselho Fiscal e agora como por milagre está tudo nos conformes.Como vocês explicam essa guinada ?

        1. Apesar de longa a Nota tem o objetivo de demonstrar a foto de 2019, que não pode ser contaminada com o passado, garantimos que a recomendação de aprovação atendeu às melhores práticas, adotadas para este resultado, O tempo mostrará, o efeito disso, e acredite! Só peço que não confundam as atribuições do Conselho Fiscal com o Conselho Deliberativo. Por favor, reflita! As não recomendações, durante 16 anos, mudaram o Cenário desastroso que estamos passando?

      8. Sr(a)s Conselheiro(a)s,
        Fiz campanha para vocês por acreditar que a hora da mudança estava próxima para nós da Petros e que com vocês teríamos alguma chance de iniciarmos uma nova era, principalmente, de justiça para todos nós que contribuímos por muitos anos para a Fundação.
        Não consigo compreender o porquê da aprovação e concordância de VS(a)s nas contas da Petros de 2019.
        Entendo que isso não deveria ter ocorrido, pois temos as pendências dos exercícios anteriores que devem ser solucionados principalmente com relação as dívidas das patrocinadoras.
        Acredito que essa aprovação nos trará mais prejuízos futuros.
        Mais uma vez, o sentimento é de frustração e fracasso.

        1. Prezada, Por favor! Faça uma reflexão, que insisto em responder. As não recomendações passadas, em que contribuíram para nos tirar da situação que estamos passando? Comparando com o passado, a transformação da PETROS é relevante. Tem muita coisa a se fazer, estamos com a cobrança e vigilância da PREVIC, em todos os atos de gestão e controle. A Nota explica as ações que estão sendo tomadas, sejam elas, legais ou administrativas. O Conselho Fiscal não delibera nada, apenas recomenda e o que foi recomendado ora está sendo implementado. 2019 foi um marco, cujos reflexos só o futuro demonstrará!

      9. Vitório Niconis Pilatos

        Prezados Conselheiros Coy e Tereza,
        Faço minhas as palavras muito bem colocadas nos resumos publicados pelos aposentados Lindolfo, Sérgio Salgado, Adilson e outros, que contém todo o histórico discutido diariamente nos últimos anos nos grupos criados principalmente pelo Lindolfo, onde centenas de aposentados no mínimo participam com leituras assíduas, quando não tem condições de se dedicarem quase que com exclusividade ao assunto, como é o caso dos colegas citados, pessoas que tem o aval dos integrantes dos grupos para se expressarem em nome de todos, inclusive em meu nome.
        Baseado em todos os argumentos que eles publicaram, repito a indagação do Edegar de Mattos:
        Como vocês explicam essa mudança de entendimento?

      10. Lamentável o posicionamento do Conselho Fiscal quanto à aprovação das contas, em especial aquelas anteriores a 2019.
        Gostaria de ver responsabilizados tds os envolvidos em ações que prejudicaram e oneraram de forma intensa a aposentadoria dos participantes do plano.
        Ficou claro que o conselho está ali somente para cumprir formalidades.
        Apesar de ter votado em vcs, sinto que a mudança tão esperada na condução de Plano PETROS mais uma vai naufragar.
        Reflitam… Urge que não só as contas de 2019 sejam revistas, mas também as dia últimos 16 anos.

      11. Claudio de Mendonça Ribeiro

        Faço meus os comentários dos companheiros que aqui expuseram os seus pensamentos/opiniões sobre a atual situação de nosso plano e de nossa Fundação e o posicionamento dos conselheiros por quem lutamos para que fossem eleitos.

      12. Prezados Conselheiros,
        Clareza e transparência são os requisitos de meus votos. Arrependimento total! Há 16 anos as contas não eram aprovadas e agora está tudo certo, em meio a maior crise do fundo? Onde estão os detalhes? Nada vindo da PETROS é crível, tem sempre o dedo e a segunda intenção da patrocinadora. Gostaria somente dos detalhes das contas que nunca nos chegaram. Att

      13. Douglas Jorge Gonçalves

        Senhores Conselheiros.
        Também cerrei fileiras para buscar votos aos Senhores Conselheiros.
        Com este voto de aprovação do balanço após 16 anos de desaprovação fica a sensação de traição para com as promessas de campanha.
        Mas vamos a alguns argumentos para a aprovação das demonstrações contábeis de 2019.
        A- Demonstrativos submetidos à consulta externa da KMPG:
        Considerando que um balanço se baseia em dados e saldos de balanços passados,qual a justificativa/respaldo técnico que teve o condão de recomendar a aprovação?
        Ainda que recomendado justificou a aceitação pelos membros do Conselho?
        B- Criadas frentes saneadoras visando monitorar o andamento das soluções:
        Tais frentes, que são administrativas, poderão garantir a a recuperação de quase 30 bilhões (trinta bilhões) ocasionadas por má gestões passadas?
        C- As recomendações anteriores a 2019 não sofrerão descontinuidade com a recomendação de aprovação das demonstrações de 2019:
        Como garantir que não sofrerão descontinuidade se uma das garantias era exatamente a desaprovação das contas?
        D- Judicialização das Dívidas das Patrocinadoras ou Notificação Extrajudiciais:
        Como este argumento pode ser positivo se está patente que a PETROS não judicializou o grande montante da dívida das Patrocinadoras?
        Agradeço e aguardo resposta.
        Douglas Jorge Gonçalves

      14. Bom dia, fiz campanha para mudanças na Petros, achando que os dados que formaram o PED 2015 e 2018 fossem ser divulgados, estes números tão secretos continuam secretos. Pelo regulamento/estatuto/lei a Petros é obrigada a fornecer as infirmações que eu, e outros, tanto pedimos e a resposta padrão é sempre a mesma, “são cálculos atuariais” e os números usados nestes cálculos não aparecem. O que se tem a esconder? O que não pode ser divulgado? Desculpem, mas começo a achar que, igual a políticos, promessas de campanha são só promessas.

      15. Sr(a)s Conselheiro(a)s,
        Fiz campanha para vocês por acreditar que a hora da mudança estava próxima para nós da Petros e que com vocês teríamos alguma chance de iniciarmos uma nova era, principalmente, de justiça para todos nós que contribuímos por muitos anos para a Fundação.
        Não consigo compreender o porquê da aprovação e concordância de VS(a)s nas contas da Petros de 2019.
        Entendo que isso não deveria ter ocorrido, pois temos as pendências dos exercícios anteriores que devem ser solucionados principalmente com relação as dívidas das patrocinadoras.
        Acredito que essa aprovação nos trará mais prejuízos futuros.
        Fica aqui meu protesto e sentimento de frustração.

      16. Srs. Conselheiros,
        Se a função dos conselheiros é fiscalizar gostaria que explicassem como as contas foram aprovadas com déficit de “algumas ” dezenas de milhões. A empresa KMPG está aprovando as contas sem ressalvas me parece muito estranho. Estamos muitos decepcionados pois estamos pagando um equacionamento que ninguém na Petros sabe explicar os cálculos detalhafis para chegarem a tal valor cobrado e, infelizmente nem mesmo as pessoas eleitas para fiscalizar e verificar com transparência esse processo de cobrança injusto e indevido o faz.
        Se a Petros está gerindo bem o nosso dinheiro expliquem o motivo de estar sempre com déficit altíssimo.
        Sem mais.
        Atenciosamente,
        Lúcia Afonso

      17. Srs do Conselho, bom dia, participei de forma ativa na campanhas dos nomes indicados pela Ambep, fui a palestras, sempre acreditando que teríamos uma luz no fim do túnel, que viveríamos um dia sem o voto minerva, que teríamos voz no Conselho, ledo engano, esses senhores que me recuso a mencionar traíram a minha confiança e de muitos que acreditaram que eles poderiam fazer algo em benefício de todos. Aprovarem as contas de 2019 sem levar em conta as ressalvas anteriores devem ter algumas explicacoes, pois que deem, estaremos esperando. Um dos conselheiros a que me refiro respondeu a Sr. LINDOLFO, a que muito admiro, “que Nao usaria a mesma régua para resposta”, use qualquer régua que tenha como princípio o COMPROMETIMENTO E HONRA, as seus eleitores e venha a público, justificar (O injustificavel) ato nefasto por vocês concordado, apenas para entendermos por qual motivos vocês assumem erros que foram ressalvados em contas passadas zerando todas pendências para o futuro, com a palavra os Conselheiros que receberam nossa confiança, obrigado.

      18. Luiz carlos mendes de souza

        Senhores Conselheiros,
        Depois de 16 anos de não aprovação das contas da Petros, por irregularidades que a PETROS não resolvia; e AINDA NÃO RESOLVEU !!!!
        Eis que agora aprovaram tudo!
        Muito estranho!!
        Votamos em vocês na esperanças de dias melhores e vcs aprovam tudo o que nos prejudica .LAMENTÁVEL
        Brincadeira

      19. Prezados Conselheiros da Petros,
        Nunca me preocupei em olhar ou conferir os Relatórios Anuais de Balanços da Petros, isso porque confiava cegamente na Petros e na PETROBRAS, não tenho expertise em Contabilidade, não tenho formação Acadêmica, etc…. Mas, no final de 2017 fui informado, que a partir de 2018 iriamos ter uma contribuição extra para com o fundo, em detrimento de um déficit de 27 bilhões de reais… E para meu espanto, já a partir de mar/2018 passei a receber algo em torno de 30% a menos na minha aposentadoria e, que o tempo de duração das contribuições extras seria por 18 anos. Busquei esclarecimentos, cobrei transparência na demonstração dos valores estratosféricos do déficit e, até hoje não obtive respostas dos itens que geraram o déficit.
        Através dos meios de comunicações e Entidades Públicas como: MPF, PF… tomei conhecimento que a grande parte do déficit é de resposabilidade da PETROBRAS, outra parte foi causado por Investimentos temerários, dívidas das Patrocinadoras, Má Gestão dos Dirigentes do Fundo que, diga-se de passagem foram nomeados pelas próprias Patrocinadoras…
        Depois de tudo, vem o NPP com todas as suas nuances, que será implantado em final de jun/2020, que os que tem expertise no assunto, estão afirmando que vai aliviar a vida dos Participantes e Assistidos, só que será vitalícia.
        Para não me alongar mais nos assuntos, que se assim o fizesse, iria digitar algumas páginas. Mais uma vez, tomei conhecimento por informações que o Relatório do Balanço Anual referente ao ano de 2019 foi aprovado pelos Conselheiros sem restrições e, que os Relatórios Anual anteriores, talvez 16 Relatórios, foram aprovados com restrições (restrições essas que também desconheço) e, esse Relatório de 2019 foi aprovado sem restrição. Agora pergunto, as restrições foram sanadas??? Se foram os Srs. poderiam apresentar as soluções que foram encontradas para as restrições ou, são dados sigilosos???
        Observo, que não estou duvidando ou colocando em dúvida a idoneidade ou honestidade de quem quer que seja, apesar de não mais confiar cegamente na Petros como acreditava. Só estou buscando a veracidade das informações recebidas e, informo que como Participante ou Assistido tenho direito em saber da veracidade dos fatos.
        Outro abuso é a cobrança das parcelas não pagas do PED 2015 em função de liminar. A PETROS não tem o direito legal de cobrar o que não foi julgado.
        Pelo momento, Agradeço.

      20. José de Freitas Sobrinho mat. Petros 080.501_1

        Quero aqui repudiar a posição CRIMINOSA da petros em relação ao grupo 78/79 quanto ao benefício concedido aos que se apresentaram antes de completar 55 anos de idade que cortou benefícios alegando que quem entrou na petros de 78 a 79 estavam sujeito ao regulamento de plano de benefício aprovado em novembro de 79.
        Ora quem determinou essa exigência foi o decreto lei 81.240/78.
        Esse decreto no seu artigo 26 dizia _ a todo participante será obrigatoriamente entregue no ato da sua inscrição cópia do estatuto é regulamento.
        Pergunto _ Como poderia ser entregue cópia de um regulamento que ainda não tinha sido aprovado ?
        Aos inscritos nesse período 78/79 PI_ pedido de inscrição de mantenedor beneficiário era entregue uma folha com assinaturas do mantenedor é representante da petros com observação:
        De acordo com regulamento básico da petros aprovado em 1975, portanto regulamento que não exigia idade mínima de idade para aposentadoria e só ser aposentado pelo o INPS (hoje) INSS.
        PORTANTO isso foi uma decisão CRIMINOSA que prejudicou é muito os que se apresentaram com menos de 55 anos de idade, como eu que fiquei até hoje recebendo + ou – 25% do que deveria receber .

      21. Este meu comentário é para todos os conselheiros eleitos e não específico para A ou B. Não vou tomar o tempo em repetir reprovações ao papel a que estão se prestando, principalmente os chamados “novos” conselheiros, pois vários comentaristas já o fizeram e não tenho nada mais a acrescentar para falar sobre minha decepção e revolta ao saber que aprovaram as contas segundo o que está publicado no artigo do Sr. Coy e Sra. Tereza intitulado “Parecer sobre as Demonstrações Contábeis de 2019”. Triste papel estão desempenhando e mostram a quem escolheram representar. Passaram a ser uns garotos de recado da Petros, publicando tudo o que “seu mestre” mandar. Certamente recairá sobre quem isto aprovou a responsabilidade se este ato vier a prejudicar os recursos ainda não julgados pelo nosso célere e escorreito judiciário.
        Queria apenas, aproveitando a “transparência” de que tanto falam, no que diz respeito à frase que informa que o “NPP foi aprovado pelo Conselho Deliberativo, com a anuência das associações e demais entidades” que publicassem os nomes dessas associações e demais entidades. Com isso ficaria claro quem está faltando com a verdade, pois pelo que foi publicado em cópia que circulou e pelo que está sendo comentado, apenas os sindicatos assinaram. Prestariam uma grande ajuda se fizerem este esclarecimento.
        Era só o que tenho para o momento.

        1. Prezado Sérgio Costa,
          Honestamente, mesmo não acreditando que você acreditará que alguém seja honesto, além de si próprio, eu vou lhe responder, depois de quase dois meses. Com relação a sua pergunta sobre quais seriam as associações e demais entidades que deram a sua anuência a aprovação do NPP, além das Federações que representam os sindicatos, a resposta é: “não sei”. Eu, particularmente, não gosto de usar aspas quando escrevo, mas, nesse caso, é necessário, porque falo por mim.
          Era só o que tenho para o momento.

      22. Creso Cezino de medeiros

        Vocês conselheiros, eleitos pelo nosso voto, com promessas de nos representar, tem a coragem de tentar nos enganar como fizeram todos os conselheiros anteriores que só sabiam gravar e colar . E foram o que vocês fizeram “ Durante nossa análise de caráter EXTREMAMENTE TÉCNICO, constatamos relevantes resultados apurados nas frentes de ação e que não sofreram nenhuma interferência, seja interna ou externa.”
        As razões estão sempre no futuro provável nunca numa efetiva providência

      23. Nada justifica a aprovação das contas, do jeito que aconteceu. Me arrependi pofundamente em ter convencido colegas da BR a votarem em vocês, aqui em São Paulo. O descrédito está reinando, piorando ainda mais a fase em que estamos vivenciando.

      24. Eu só queria entender como aprovam as contas de 2019 considerando que as últimas contas não foram aprovadas e continham ressalvas. Será que tudo o que havia de “errado” nas vezes anteriores foi corrigido ?? Acho que é a indignação de todos os participantes Petros. Atuei por mais de 30 anos na BR Distribuidora e achei que quando eu me aposentasse teria uma vida de tranquilidade junto com minha familia. Creio que seja a situação de muitos amigos e colegas que também saíram. Com minha aposentadoria, “deixei” na mesa 47% dos meus rendimentos, se comparado com o valor percedibo atualmente. Agora, temos que arcar com uma conta absurda, causada por péssimos administradores que certamente vai me/nos levar hà uma situação financeira catastrófica. E os Senhores do conselho, simplesmente concordam com o que foi apresentado. E Pensar que fizemos campanha para a eleição. Ledo engano de que haveria mudança

      25. JOSÉ NORBERTO SILVA DE MACEDO

        Caros senhores.
        Quero aqui deixar minha perplexidade ao saber da aprovação do demonstrativo das finanças da Petros sem qualquer ressalva aos defcites e rombos do plano, já que todos os beneficiários e participantes estamos em situação muito difícil com os descontos de um equacionamento com valores exorbitantes para quem tem benefícios. Estou aposentado desde 1997 depois de cumpridas minhas obrigações laborais e com a Petros, para ter direito ao complemento de valores ao do INSS e jamais imaginei passar por esta situação justo no momento em que a vida está me fazendo grandes desafios pelas limitações do tempo. Sou do grupo NR e não tenho conhecimento jurídico sobre minha situação somente informações e muitas duvidas. A certeza única são os valores que tenho como os outros colegas desses descontos que estão causando doenças emocionais, físicas e psicológicas em nós mais avançados na idade. Temos questões judicias em tramitação e vejo atitudes da Petros que reclamam prodencia e solidariedade aos aposentados e beneficiários. Isso é desumano. Fica aqui portanto meu protesto e repúdio aos tratamentos desrespeitosos conosco.
        Certamente os senhores devem estar em situação bem confortável em relação aos outros participantes da Petros.
        Rogo AO SUPREMO ETERNO COMPASSIVO MISERICORDIOSO EU SOU, que derrame bênçãos de justiça, saúde e paz sobre todos. OM SAI RAM!
        JOSÉ NORBERTO SILVA DE MACEDO.

      26. Não concordo e acho um absurdo aprovarem um déficit para eu pagar, ao qual não tenho nenhuma responsabilidade a geração doméstica. Pelo contrário sempre honrei com meu compromisso no contrato que assinei com a PETROS. Portanto não tenho que pagar nenhum déficit e ninguém está autorizado a dizer em meu lugar que aprova contas maquiadas e inescrupulosas!!

      27. Existe uma grande expectativa para que os novos Conselheiros cobrem mais enfaticamente da DE da PETROS, pois temos um passado “horrível”, com gestões absurdamente corruptas e que comprometeram nosso futuro financeiro.
        Aprovar os resultados de 2019 sem discutir as pendências bilionárias das patrocinadoras não faz sentido.

      28. NIVALDO APARECIDO TANNER

        Exatamente Lindolfo. Estou me sentindo como sempre me senti com a política de nosso país durante eleições, em que os discursos não se realizam na prática. Lamentável mas esse é o meu entendimento. Estive na empresa Petrobras Distribuidora por 24 anos, abdiquei muitas coisas da minha vida para me dedicar de corpo e alma ao meu trabalho no qual fui um fascinado e muito me orgulho. Não me preocupei com a Petros por entender que estávamos lidando com pessoas honestas, éticas em sua gestão, mas fui enganado, amadureci tarde demais quanto a isso. Estou me convencendo de que nada mudou e agora então estou perdendo minhas esperanças, pois entendo que nada mudará nesse mecanismo criado para nos roubar. Agradeço pelo seu empenho em poder deixar claro tecnicamente para mim e para muitos tudo isso que aconteceu e vem acontecendo. Particularmente lutarei contra tudo isso até a minha morte. Não mais ficarei sentado acreditando e esperando algo, principalmente partindo dos ditos “companheiros” que dizem nos representar. Vivendo e aprendendo.
        Nivaldo Aparecido Tanner
        Matricula 143.301-2

      29. Nelson Lambert de Andrade

        Bom dia srs conselheiros
        Li e reli o texto que v.sas. oferecem o parecer com base no Relatório da Auditoria externa (KPMG).
        Para mim não ficou explicita a razão pela qual esses r. Conselheiros aprovaram as contas baseados apenas e tão somente no relato do auditor que não me pareceu independente, pois não ressalvou seu parecer, diante de um passivo relevante e que não tem sido reconhecido pelas patrocinadoras.
        Por isso, peço que vsas. esclarecimentos dos fundamentos regulatórios que os levaram à referida aprovação ” extremamente tecnico”
        Fico grato e aguardo.

        1. Aprovação das Contas sem ressalvas? É isso mesmo? Decepção com Conselheiros a quem indiquei a muitas pessoas e também votei.

      30. Nesta Nota “Parecer sobre Demonstrações Contábeis de 2019 “, após 16 anos de rejeições consecutivas de não recomendação de aprovação quanto a correta escrituração das mesmas anteriores, este Novo Conselho Fiscal recém eleito APROVA as Demonstrações de 2019 e diz que uma das razões que os motivou foram (Abreaspas) “criadas frentes de ações saneadoras daquelas anotações visando monitorar o andamento das soluções. Algumas delas são passíveis de retorno favorável aos Planos. ” (Fechaspas). E quantos as demais desfavoráveis ? Quantas são ? Qual montante envolvido ?
        Esta afirmação embrulhou meu estômago. Sou engenheiro, não contador.Todavia causam-me surpresa, perplexidade, incômodo, … ver tal arrazoado escrito. EU não vejo razões plausíveis para que os 16 anos passados, sejam justificados em um simples parágrafo. Palavras não bastam. Para esta APROVAÇÃO seriam necessárias Demonstrações que indicassem ANTES o que foi feito para sanas os danos pretéritos que motivaram tais rejeições. EU, como muitos outros que aqui já se manifestaram também me sinto TRAÏDO na confiança que depositei nos Senhores(a).

      31. Prezados,

        Vocês não vão me censurar.

        Tenho postado muitas coisas aqui e vocês tem censurado.
        Que absurdo! Não aguentam críticas!

        Uma coisa é bem certa, a cultura brasileira de cargos representativos está permeada dos mesmos comportamentos a nivel macro e micro, ou seja, o próprio umbigo fala mais alto. E não foi diferente, quanto mais funda a panela mais difícil de chegar na borda.

        É matemática pura 1/16, para termos uma aprovação de contas tão sem arestas. E quanto maior a corporação, maior são as justificativas de conduta ilibada de processos e procedimentos. Desta maneira Papai Noel, Fada do Dente e outros seres terão toda eternidade a seu favor. No CA/CF não é diferente?

        Trocam-se as panelas mas o conteúdo secular de comportamentos não muda.

        E o atual conselheiro inapto ao exercício do cargo é a grande prova disto, além de influenciar os novos, se já não chegaram assim.

        Enfim, recursos com mais de 9, 10 zeros interessa a muitos e não para aqueles que mal e porcamente terão que receber de modo fracionado 3 e/ou com muita sorte 4 destes zeros.

        Lástima confiar em quem tem muito gogó e um cargo eletivo resultado dele. Boas práticas e transparência é o que falta em todo sistema Petros e seus secretos subterrâneos.

      32. Douglas Jorge Gonçalves

        Senhores Conselheiros.
        Também cerrei fileiras para buscar votos aos Senhores Conselheiros.
        Com este voto de aprovação do balanço após 16 anos de desaprovação fica a sensação de traição para com as promessas de campanha.
        Mas vamos a alguns argumentos para a aprovação das demonstrações contábeis de 2019.
        A- Demonstrativos submetidos à consulta externa da KMPG:
        Considerando que um balanço se baseia em dados e saldos de balanços passados,qual a justificativa/respaldo técnico que teve o condão de recomendar a aprovação?
        Ainda que recomendado justificou a aceitação pelos membros do Conselho?
        B- Criadas frentes saneadoras visando monitorar o andamento das soluções:
        Tais frentes, que são administrativas, poderão garantir a a recuperação de quase 30 bilhões (trinta bilhões) ocasionadas por má gestões passadas?
        C- As recomendações anteriores a 2019 não sofrerão descontinuidade com a recomendação de aprovação das demonstrações de 2019:
        Como garantir que não sofrerão descontinuidade se uma das garantias era exatamente a desaprovação das contas?
        D- Judicialização das Dívidas das Patrocinadoras ou Notificação Extrajudiciais:
        Como este argumento pode ser positivo se está patente que a PETROS não judicializou o grande montante da dívida das Patrocinadoras?
        Agradeço e aguardo resposta.
        Douglas Jorge Gonçalves

      33. JOSÉ DIAS DE OLIVEIRA FILHO

        O PIOR DE TUDO É QUE 95% DOS ASSOCIADOS NÃO ENTENDE DE NADA E CONTINUAMOS A MERCÊ DE PESSOAS DESONESTAS, ESPERO QUE VCS HONESTOS LEVEM O BARCO PARA ÁGUAS MANSAS E OS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS QUE SÃO FISCALIZADORES NÃO SERVEM PARA ISSO NÃO.

      34. Edson de Almeida Costa Nonato

        Lamentável ver nossas esperanças caírem por terra, com a aprovação das contas de 2019, após a AMBEP ter indicado vcs com a promessa que tudo mudaria, entretanto o que se percebe foi uma verdadeira farsa e agora o que esperar, ou vcs querem contribuir para nosso fundo ir para um poço sem fundo.

      35. Maria Isabel Moreira Leite

        Não tenho muito que comentar, pois muitos colegas já o fizeram.
        Apenas constatar a minha decepção, pois quando fizeram campanha prometeram muito
        E hoje vejo que estava sendo enganada mais uma vez.

      36. Eu votei em Vocês em busca de mudanças, mas, pelo visto continua igual ou até pior, pois, onde se viu aprovar as contas da Petros de 2019 com a existência de dívidas bilionárias das patrocinadoras, colocando mais em riscos ainda maior os benefícios dos aposentados e pensionistas da Petros. Infelizmente a mim até o momento Vocês estão prestando um desserviço, e não é o que Eu esperava, e acredito que nem tampouco, beneficiários que em Vocês acreditaram e depositaram toda confiança.
        Vocês nunca mais !

      37. Aloisio Jose Menten Espinosa

        Senhores Conselheiros
        Quero aqui declarar a minha total concordancia e apoio as colocacoes efetuadas pelo Lindolfo a respeito do trabalho que vem sendo realizado na Gestao da Petros.
        Tenho certeza que esse apoio tem o aval da grande maioria dos Aposentados da Petros..
        Considero que falte muito respeito com aqueles que se doaram tanto pela Empresa e sao responsaveis em grande parte pelo seu sucesso

      38. Sergio Viegas Pré 70 NR Matr. 513 686.8
        Para ser breve e não repetitivo como muitos, concordo como sempre com meu Xará Sergio Salgado não acrescentando nem retirando qualquer comentário dito. Porém durante toda a trajetória de minha vida após aposentado fez-me notar o quanto e difícil escolher pessoas que pensam no todo não em si ou amigos e parentes somente.
        Como na Política e Justiça, fica complicado resolver qualquer problema de cunho Grupal. Acredito que muitas coisas pessoais fazem o desvio de conduta das pessoas.
        Com o que foi apresentado na aceitação das CONTAS do nosso FUNDO. NÃO precisaríamos de nenhum CONSELHO tanto FISCAL quanto DELIBERATIVO, pois não demonstram nenhuma maturidade para luta, e sim assinar em baixo o que manda.
        Sendo assim não me espanto com o que aconteceu, como vemos hoje os comportamentos de nosso GOVERNO.
        É lamentável.

        1. Prezado Juca, bom dia

          Parece que você não acompanha o nosso blog. Então, seja bem-vindo! Nosso blog é democrático. Nesse espaço, só não são aprovados PALAVRÕES.

          Podemos não ser unanimidade e nem queremos isso. Concordar ou discordar é uma opção de vida e voto. Não fazemos julgamento de honra, nem de caráter ou opinião. Aquilo que fazemos, falamos ou mesmo escrevemos, muitas vezes, revela mais de nós do que do outro.

          1. A dúvida sempre é centrada no outro. Esta é a mais velha das táticas de descredenciar o outro, quando se ocupa um cargo de representatividade. Isto não cola mais.
            Nos últimos anos isto foi aplicado no sistema Petros em demasia, só para ficar com exemplo intra muros.

          2. Fizeram isto sim logo após as primeiras 22 postagens. Não se trata da prerrogativa de moderação. A mensagem de não reconhecimento de postagens vinha da própria Worldpress, considerando login invalidado. Sou usuário de muitos anos da Worldpress, é um fato raro de possível bug. A explicação é de que o mesmo poderia ter sido bloqueado momentâneo ou definitivo pelos responsáveis do blog. Em outras postagens do blog ocorria o mesmo. Só aceitava curtir. Aparecia a mensagem deste ontem, conteúdo já postado com mensagem repetida.
            Paciência se fizeram isto jamais vão admitir.
            Conselheiros começam a perder credibilidade. Nestes anos todos nunca vi uma falha ou big do Worldpress e nenhum relato desabonador da ferramenta.

            1. Prezado Paulo Buxó Claramunt

              Se desarme…calma. Você diz ser conhecedor das ferramentas do WordPress, mas não é o único. Eu também conheço. Você, repito, você foi o próprio responsável pelo seu bloqueio, que, na verdade, nunca houve. Talvez, por ansiedade de ver e ler o que comentou, e que JAMAIS iremos censurar, postou “399” comentários e a ferramenta que identifica SPAM no blog o bloqueou. Liberamos TODOS os comentários que estavam em fila e o seu não foi o único, como pendentes, porque os comentários só são automaticamente aprovados numa segunda vez, após aprovação anterior. Entendeu?

          3. Luiz Guilherme de Souza Passos

            Estou pleno acordo com a decepção, demonstrada por diversos colegas, com relação a eleição dos novos membros do CF, nos quais também votei na espectativa de novos tempos para a PETROS.
            Mas pelos e.mail que li atentamente, so tenho a afirmar , INFELIZMENTE , ” NADA ALÉM DO PREVISTO “.
            E lhes peço com todo respeito, que me poupem com respostas evasivas, em consideração a minha idade avançada, minha saúde e minha experiência nesses longos anos de vida.
            Antecipadamente Obrigado.

          4. Luiz Guilherme de Souza Passos

            Estou pleno acordo com a decepção, demonstrada por diversos colegas, com relação a eleição dos novos membros do CF, nos quais também votei na espectativa de novos tempos para a PETROS, mas pelo visto infelizmente não fomos bem sucedidos.
            Mas pelos e.mail que li atentamente, so tenho a afirmar , INFELIZMENTE , ” NADA ALÉM DO PREVISTO “.
            E lhes peço com todo respeito, que me poupem com respostas evasivas.
            Antecipadamente Obrigado.

          5. Só me expliquem o porquê dos srs., terem rompido os 16 anos de recusa das contas, com diversos pontos pendentes da mesma forma que anteriormente eram apontados. Só isso e nada mais do que isso,

          6. José de Sousa Ribeiro Filho

            Prezados conselheiros eleitos,
            Depois de terem aprovado, de forma irrestrita, as contas da Petros, jogando toda a sujeira para debaixo do tapete, pergunto aos senhores:
            1.. O que esperam fazer de relevante pelos sofridos participantes da Petros durante o período restante de seus mandatos, considerando que aprovaram, num único ato, todos os atos suspeitos destacados nos relatórios dos últimos 16 anos que implicaram o déficit monstruoso de R$ 40 bilhões? e
            2.. Depois de empossados, passaram a ver a Petros com outros olhos, diferentes daqueles da época de suas campanhas?
            3.. O que é que os fez mudar de idéia e abandonar a luta compromissada em favor dos participantes?
            Atenciosamente,
            José Ribeiro Filho

          7. Parabéns aos dois representantes pela publicação e esclarecimentos, honestidade é o que se precisa, pois já fomos lesados demais, e que respeitem o trabalho honesto realizado por todos nós, não retirando direitos conquistados com suor, dignidade e respeito.
            Abraço

          8. Apresento meus veementes protestos quanto à aprovação dos resultados de 2019 sem que tenham sido discutidas e registradas as pendências bilionárias das patrocinadoras.
            Na última eleição para os Conselhos Deliberativo e Fiscal votei nos candidatos das chapas apoiadas pela AMBEP na expectativa de que tivéssemos Conselheiros que cobrassem enfática e sistematicamente da Diretoria da PETROS a correção dos maus feitos do passado, com gestões absurdamente corruptas e sem transparência, que comprometeram a saúde da Petros e , consequentemente , acarretam a redução dos nossos benefícios com aumento das contribuições, sejam as normais sejam as “ extraordinárias “ para equacionamento de déficits.
            Apresento também meus protestos quanto à intenção já anunciada no site da Petros de que iniciará a cobrança
            de valores não pagos ou pagos parcialmente pelos participantes do PED 2015 , o qual já foi contestado judicialmente – em centenas de ações – não só pelo seu valor apurado , do qual não foi deduzido as dívidas das patrocinadoras – inclusive a responsabilidade da Petrobras quanto aos PRE-70 – mas também pela forma obscura , perversa – e ilegal – das contribuições extraordinárias com tabela com alíquotas progressivas. Ainda tenho esperança de que os novos Conselheiros lutem para que essa injusta cobrança seja cancelada e que os valores pagos sejam devolvidos e /ou compensados a cada participante, ainda que seja necessária uma revisão e sua compensação no exercício de 2020 e/ou 2021, de modo que , caso persista algum déficit residual , este seja equacionado através de contribuições extraordinárias com alíquotas com percentuais únicos tal como adotadas no NPP.

          9. só para esclarecer sou massa de manobra unica e exclusivamente do meu holerite que cada vez está menor senhores conselheiros!!!!!!!!

          10. Estou muito decepcionado com essa atitude de nossos conselheiros que não estão cumprindo o que foi prometido em campanha. A panelinha continua a mesma.

          11. Esse parabéns e Vitória da irresponsabilidade vai para Fup e seus seguidores .É difícil aceitar que estou pagando 36 bilhões desviados da Petros sem que seja responsabilizado e cobrado dos verdadeiros responsáveis(Petrobras). pior ainda , todos os relatórios fiscais pendentes de vários exercícios foram aprovados .Hoje tenho a convicção de que nunca acertei em quem votar.

          12. Sérgio Salgado - pré 70 - matrícula 319531 - (013) 99705-6723

            Linaldo, perdão, entendi que este instrumento era para defendermos a Fundação Petros pois, se for para fazer da mesma forma que já fazem a fup traidora (que os estão elogiando em seu portal) e os outros conselheiros eleitos, não entendo o porquê de abrir mais outro blog. Melhor fazer como a fup, que reproduziu o texto de vocês e juntou os conselheiros num pacote só, vocês também os representam.
            Se você considera que minhas críticas são destrutivas, lembro a você que elas são idênticas às que você e o José Roberto fizeram aqui em Santos, em relação aos demais conselheiros eleitos onde alguns disputavam a continuidade e acabaram derrotados, graças ao trabalho que, ludibriados e só agora enxergamos, fizemos para vocês, quando fizeram a apresentação de suas plataformas às pessoas que lá foram, por mim e pela Ambep, convocadas.
            Entendo que você é contador, portanto, ou você conhece o assunto ou o desconhece por inteiro, pois sua pretensa nota nada informa sobre o motivo da aprovação das contas que você também criticou durante a campanha. Será que sua idéia é que campanha eleitoral é campanha eleitoral e mandato é outra coisa diferente?
            Se você não ficou satisfeito com o que escrevi em seu blog, também enviei via e-mail. Entendo que receberei resposta (enviei a algumas pessoas por cco, portanto tenha certeza que também enviarei sua aguardada resposta também a esse grupo.
            Sua resposta à minha Notificação Extrajudicial não saiu da Petros. Você deve ser muito inocente ao acreditar que os gestores querem resolver nossos problemas, portanto, melhor ficar esperto e quando acontecer novamente essa situação, cobre deles as assinaturas do AR confirmando a entrega.
            Você e os demais conselheiros não são transparentes. Suas justificativas à aprovação das contas são medíocres e sem qualquer nexo. Minhas críticas apontam para isso e, ainda que você possa ficar aborrecido com elas, jamais deveria deixar de responder de fato e de direito às colocações que ali fiz. Desqualificar minha insatisfação (e dos demais críticos deste blog) é o mesmo caminho atravessado pelos brandões, siqueiras, tedescos e pcc´s da vida. Restrinja-se a responder tecnicamente o motivo da sua aprovação, pois você e os demais conselheiros não o fizeram. Podemos ter errado ao lhe escolher como nosso representante, mas com certeza nenhuma de nós é ignorante para não entender o que se está jogando aqui.
            Sérgio Salgado – pré 70 – sersalga.2304@gmail.com
            ET – gentileza verificar o porquê eu não consigo acessar a entrada de comentários, que não aceita meu email, impedindo esse registro. O email abaixo é o da minha filha. Sempre que coloco o meu a informação que retorna é que não posso fazer login, ainda que me cadastrando.

          13. Também eu esperava uma postura mais contundente do conselho fiscal. Não me conformo com a aprovação das contas como foi feita! Como será a proteção da nossa entidade e dos participantes e assistidos?

          14. Brígida Letice Carvalho

            Somos aposentados da PETROS e queremos Explicações para a aprovação das contas, após 16 anos de rejeição.
            Como ficam as contas que nunca fechavam, como fica a nossa situação?

          15. Votamos acreditando que a chapa da AMBEP seria fiel a nossa causa. Somos lesados todos os meses com um desconto extra que não causamos na Petros. Quais as razões de não reportarem à AMBEP e a mesma passar informações para os associados?

          16. Cláudio Cruz dos Santos

            Boa tarde ,
            Gostaríamos de saber como de uma hora para outra as constas foram aprovadas, e porque não cobram das pessoas que foram responsáveis pelo rombo, o que está fazendo s este respeito até agora não vimos nada no sentido de responsabilizar as pessoas que realmente cometeram o rombo e não nos participantes da Petros.

          17. Denilson Carvalho dos Santos

            Lamentável!
            Decepcionante!!!…
            ….A esperança vai morrendo….lutamos e elegemos “mais do mesmo”.
            Fomos ludibriados?!? ….
            Houve ingenuidade, incompetência ou má fé….?!?

          18. Apresento meus veementes protestos quanto à aprovação dos resultados de 2019 sem que tenham sido discutidas e registradas as pendências bilionárias das patrocinadoras.
            Na última eleição para os Conselhos Deliberativo e Fiscal votei nos candidatos das chapas apoiadas pela AMBEP na expectativa de que tivéssemos Conselheiros que cobrassem enfática e sistematicamente da Diretoria da PETROS a correção dos maus feitos do passado, com gestões absurdamente sem transparência, que comprometeram a saúde da Petros e , consequentemente , acarretaram a redução dos nossos benefícios com aumento das contribuições, sejam as normais sejam as “ extraordinárias “ para equacionamento de déficits.
            Apresento também meus protestos quanto à intenção já anunciada no site da Petros de que iniciará a cobrança
            de valores não pagos ou pagos parcialmente pelos participantes do PED 2015 , o qual já foi contestado judicialmente – em centenas de ações – não só pelo seu valor apurado , do qual não foi deduzido as dívidas das patrocinadoras – inclusive a responsabilidade da Petrobras quanto aos PRE-70 – mas também pela forma obscura , perversa – e ilegal – das contribuições extraordinárias com tabela com alíquotas progressivas. Ainda tenho esperança de que os novos Conselheiros lutem para que essa injusta cobrança seja cancelada e que os valores pagos sejam devolvidos e /ou compensados a cada participante, ainda que seja necessária uma revisão e sua compensação no exercício de 2020 e/ou 2021, de modo que , caso persista algum déficit residual , este seja equacionado através de contribuições extraordinárias com alíquotas com percentuais únicos tal como adotadas no NPP.

            1. Rogério, boa tarde

              Só para te lembrar. Você já fez esse mesmo comentário há duas horas. Por gentileza, deixe espaço para outras pessoas, legitimamente, poderem se manifestar. O nome do que você está fazendo é SPAM.

              Em tempo: NÃO BLOQUEAMOS COMENTÁRIOS. Todos têm o sagrado direito de se manifestar. Alguns fazem educadamente. Outros optam por insinuar atos ilícitos praticadas por nós, conselheiros. Podemos até errar, mas não o fazemos dolosamente. Alguns esquecem que somos conselheiros aposentados e TAMBÉM estamos pagando a conta do PPSP.
              Só não aprovamos, reitero, palavrões em respeito à TODOS os leitores do blog. Graças a Deus, isso nunca aconteceu e espero que não venha a acontecer, até porque não será publicado.

            2. Senhores conselheiros nós votamos nos senhores para nós representares e nos defender, vejo tudo ao contrário vocês além não defenderem ainda aprovam contas da dívidas das patrocinadoras, deixando o caixa PETROS em baixa com dívidas absurda que temos que pagar, não é correto isso, peço rever.

          19. Senhores CONSELHEIROS recém-eleitos!
            Não os conheço pessoalmente, apenas conheço dos senhores o que foi postado durante a campanha eleitoral passada.
            Muitos colegas, aposentados, pensionistas e ativos da PETROBRAS que os conhecem de outras oportunidades fizeram enorme demonstração de crédito em Vossas Senhorias.
            Hoje, os leio, todos inconformados com vossa atitude distante de nossos interesses.
            Uno-me a eles neste momento, da mesma forma que me uni no momento da eleição, para protestar veementemente contra esta situação inaceitável de termos mais uma vez sido enganados por nossos próprios colegas.
            Sempre me perguntei, por que causa alguém trai seu próprio plano de previdência? Isto quando via colegas nossos aceitarem serem nomeados para agirem para a nossa desgraça. Acaso esses colegas também não sofreriam da mesma maneira com os prejuízos?
            Que tipo de ser humano aceita ser cúmplice de um plano para a retirada dos recursos tão honradamente e penosamente amealhados por tantos colegas, amigos e até familiares?
            Para todos nós, foi uma vida de trabalho duro e honesto. Hoje estamos velhos e dependemos de nossos benefícios para nossa sobrevivência.
            Peço Senhores, não permitam que nos esfolem ainda mais e exijam que a PETROS faça o que deve ser feito, dentro de suas competências. E se forem impedidos, nos deixem saber para que possamos buscar nossos direitos na JUSTIÇA.
            Peço Senhores, não sejam os novos cúmplices da desgraça de dezenas de milhares de velhos, doentes e carentes de justiça. Denunciem o que estiver errado e não aceitem o que é inaceitável.
            O que aconteceu com as contas recusadas dos exercícios passados?
            O que aconteceu com as contas recusadas dos exercícios passados?
            O que aconteceu com as contas recusadas dos exercícios passados?

          20. Eu pensei que fosse ter uma aposentadoria tranquila, mas isso não tem ocorrido. A última novidade foi a eleição para Conselheiros da PETROS. Conselheiros esses indicados pela AMBEP, na esperança de que fossem fazer uma fiscalização melhor nas contas. O que não aconteceu… Vejo cada vez mais meu salário ser reduzido e eu sendo obrigada a pagar dívidas das quais não são de minha competência. Não fui eu que sumi com o dinheiro.

          21. Caros Conselheiros,
            Quando votei nos senhores, o fiz com toda a esperança de estar depositando o voto nas mãos de conselheiros comprometidos com a causa dos participantes ativos e assistidos da Petros.
            Que a Petros, a partir daquela data tomaria um rumo diferente, caso os senhores fossem eleitos.
            Mas, me enganei redondamente. Qual não foi a minha surpresa ao tomar conhecimento que as demonstrações contábeis de 2019 haviam sido aprovadas.
            Se ao longo dos 16 anos as demonstrações não vinham sendo aprovadas, significa no mínimo que as pendências vinham se acumulando, sem a devida solução.
            Gostaria de receber os devidos esclarecimentos
            Grata/ Kazuko Yoshida / Matrícula 021998-6

          22. O Que mais me interessa é saber desses demonstrativos contabil a partir de 2011 quando ao que parece iniciou as fraudes/roubos dentro da petros. O que resultou é nos foi IMPOSTO PED ASSASSINO SEM DEMONSTRAR DE ONDE É QUAIS AS PESSOAS ENVOLVIDAS NESSES TIPOS DE NEGOCIOS FRAUDULENTOS DENTRO DA PETROS QUR INCLYSIVE ATE ONDE Sei foi alvo de investigação do ministério público da União. Nenhuma informação foi dada até hoje. As únicas informações passadas é o PED ASSASSINO obrigando e descontando ao bem prazer da instituição pois se até hoje não foi demonstrado pela petros o que efetivamente resultou nesses descontos alarmante para todos. E nem tiveram a hombridade de reunir os participantes para dar explicações até hoje. Não respeitaram o artigo 41 que ao meu ver ainda REGE os aposentados e principalmente os não repactuados consequentemente não poderiam fazer qualquer desconto quando os únicos responsáveis pelas fraudes foram todos vcs. daí de dentro da petros. A responsabilidade de todos os vinculados a petros so seria cabivel se fosse um caso fortuito e não de desfalque e má administração de vcs. Agora a conta chega somente pra nós aposentados???. Gostaria de explicações detalhadas que justifique claramente o que gerou tamanho desfalque(rombo). Ninguém da petros respeita o aposentado que pagou anos a fio uma suplementação para nossa aposentadoria e agora temos que re-pagar o rombo feito pelos “administradores” da petros por mais 30 anos????? SERA QUE VCS É QUE ESTÃO CERTOS E NOS APOSENTADOS ESTAMOS ERRADOS.??? SE AKI FOSSE UM PAIS SERIO TODOS ESSES DIRETORES IRRESPONSÁVEIS E CONIVENTES com o desfalque do dinheiro nosso descontados anos a fio ESTARIAM NA CADEIA. E AINDA TEM GENTE DENTRO DA PETROS SE “DANDO BEM”. Não me interessa saber prestação de conta de 2019 não. O que quero é saber a partir de 2011 quando começou o desfalque e até hoje 2020, basta fazer uma perícia contábil do período apontado acima que todos ficarão sabendo a verdadeira história da má administração da petros Hoje estamos velhos e doentes sem a mínima condição de tratamento por conta desses descontos ilegais e absurdos feitos em nossos contracheques. Como se não bastasse ainda querem que os aposentados paguem os valores do período em que o desconto ficou suspenso por liminar . Quando o juiz suspendeu em seu despacho por liminar o desconto do PED ASSASSINO não consta nesse despacho que teríamos que pagar o período que ficou suspenso por liminar. Acontece que os referidos processo não encerrou, logo não há que ser cobrado nada. Uma coisa é certa QUEM NAO TEM COMPETÊNCIA NAO SE ESTABELEÇA . A Petros é nossa também e todos da petros tem obrigação de nos informar tudo e não ignorar quem também contribuiu e ainda contribui. Podem estar certos que prestar conta aos aposentados nao é nenhum favor e sim obrigação.Certa que serei atendida nesse pleito, aguardarei resposta. Obrigada pela atenção.

          23. Estou decepcionada pq depois de tanto lutarmos para eleger os nossos Conselheiros, na esperança de que iríamos ter pessoas lutando pela nossa causa junto à PETROS, e eis o que vejo: pessoas que nos enganaram, que se aproveitaram de nossa credibilidade, de nossas esperanças em dar uma solução para tanta coisa errada! Se para vcs o dinheiro está sobrando, para nós está faltando, exatamente por causa dessa falta de honestidade de pessoas como vcs. A justiça da terra não vale nada, mas a Justiça Divina não falha. Mas na minha vida aprendi uma coisa: tudo que se faz de errado na vida tem retorno, e este retorno ainda vai chegar para todos os que estão agindo e prejudicando a todos nós!!!

          24. Senhores conselheiro: votei em vcs é já me sinto arrependido achando que ao longo da minha aposentadoria teria alguém para nos defender desse ped assasino. Vejo qie as patrocinadoras devem muito e agora somos nós aposentados que a cada ano o salário fica achatada e temos que pagar as contas até dos mal investimentos e etc….
            Chega !!!! Não vou ficar aqui escrevendo que são inúmeras coisas que vcs já sabem.
            Abraço a todos……

          25. É triste, que pessoas que estavam ao lado, quando foram eleitas, de uma forma muito estranha, deixaram suas bandeiras de luta.
            Deixo aqui o meu repúdio, minha revolta com o que se aproxima, fomos traídos…
            Que pena EMIDIO MIQUELETO

          26. Waldenice Saracho- Matricula Petros 118241-5

            Existe uma grande expectativa para que os novos Conselheiros cobrem mais enfaticamente da DE da PETROS, pois temos um passado horrível, com gestões absurdamente corruptas e ue comprometeram nosso futuro financeiro. Aprovar os resultados de 2019 sem discutir as pendências bilionárias das patrocinadoras não faz sentido!

          27. Prezados conselheiros,
            Eu como aposentado da BR distribuidora, fiquei muito indignado com a aprovação das demonstrações contábeis de 2019, uma vez que ficaram pendentes por 16 anos. Indignado com o pagamento do PED assassino que não foi causado por nós aposentados. Gostaria de receber os esclarecimentos do porquê da aprovação das demonstrações contábeis, e quem causou este rombo que nós aposentados estamos pagando.

          28. FERNANDO ANTONIO DO REGO BARROS

            Também me sinto tremendamente aturdido com essa aprovação das contas pelos nossos conselheiros eleitos, após a renhida campanha que travamos contra os “companheiros”, para eleva–los até lá. Só espero que reflitam sobre o que fizeram e que, em próximos embates, estejam mais próximos daqueles que agora amargam a má gestão da Petros perante a Patrocinadora.

          29. Em Portugal, berço da língua portuguesa, há um ditado que diz:
            “A ignorância é má conselheira”.

            Os principais dicionários da língua portuguesa definem conselheiro como:

            “Pessoa que dá conselhos; aquele que aconselha; quem aconselha, orienta, dá direcionamentos a outrem; aconselhador, guia.

            Membro de um conselho, de uma comissão que delibera um assunto.

            Pessoa que, com formação e habilitações específicas, dá aconselhamento ou orientação profissional”.

            https://www.dicio.com.br/conselheiro

            Conforme já citado por um dos participantes neste blog sobre estagiário, na minha conclusão, qualquer estagiário pensaria e agiria melhor, do que os nossos atuais conselheiros fiscais da Petros.

            Pelas definições acima, a honrosa missão e a responsabilidade de atuar como conselheiros falharam a partir do momento em que, as contas dos 16 anos passados como a atual, não apresentaram e nem justificaram de forma pública, o que se passou com elas, quais foram os documentos, atas, exposições de motivos e/ou justificativas, que comprovaram de forma fundamentada por A + B, como foram formatados ou contabilizados os PEDs, e/ou como foram aprovados à luz de auditorias independentes, que assim os comprovassem.

            Enquanto tais explicações fundamentadas na forma acima, não forem divulgadas e explicadas de forma pública, o conceito que cabe aos conselheiros em referência, está bem aquém ao de estagiário aqui citado.

            E se há como comprovarem com fundamentos, aqui ou no site da Petros, que o façam.

          30. Prezados Coy e Tereza,

            Quedei-me estupefato, totalmente perplexo, ao saber que as demonstrações contábeis da PETROS referentes ao exercício de 2019 foram aprovadas pelo Conselho Fiscal após DEZESSEIS ANOS SUCESSIVOS de reprovação.

            Peço desculpas, mas é necessário repetir para que eu me certifique de que estou relatando os fatos corretamente: APÓS DEZESSEIS ANOS SUCESSIVOS SENDO REPROVADAS, AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DA PETROS REFERENTES A 2019 FORAM APROVADAS.

            Preparei-me para ler a explicação de um feito de tal magnitude, regozijando-me por meus votos na eleição de conselheiros, quando minha estupefação se tornou indignação, pois o assunto foi abordado como se fosse algo trivial, que não merecesse qualquer explicação, a exemplo do mágico que tira coelhos da cartola com total naturalidade.

            Cheguei a imaginar que a mim, reles engenheiro, faltasse conhecimento do assunto e por isso estaria cometendo um erro grosseiro de avaliação. Mas, depois de buscar esclarecimentos com colegas conhecedores de ciências contábeis, de direito e de finanças, lamentavelmente concluí que, se erro houve, foi dos conselheiros.

            A participação de uma empresa independente de auditoria com certeza dá mais conforto a todos nós, como diziam os membros do board da Enron.

            Desculpo-me pelo tom algumas vezes irônico, mas estou muito desgastado por tudo que houve na PETROS, que resultou em uma elevada conta que estamos pagando sem sequer termos o elementar direito de conhecer a memória de cálculo de seu valor.

            Cordialmente,

            Ney Serrão

          31. Gostaria de entender porque o Conselho Fiscal da Petros, aprovou as contas referentes ao exercício de vocês 2019, após 16 anos de sucessivas reprovacoes.

          32. Armando Pereira Campos Filho

            Nossos conselheiros…nossos?… Tinha uma expectativa para que vocês estivessem nos defendendo, que cobrassem mais enfaticamente da DE da PETROS, pois temos um passado com gestões absurdamente corruptas e que comprometeram nosso futuro financeiro.
            Aprovar os resultados de 2019 sem discutir as pendências bilionárias das patrocinadoras não faz sentido.
            Não irão fazer nada?… é só isso, aprovar tudo sem cobrar nada, e estes últimos anos, os quais vocês sabem muito bem…ou durante as eleições…sabiam… Lutem pelo correto, justo e ética…como ficamos?

          33. Prezados Senhores Conselheiros,
            Apesar de ter trabalhado na Petrobrás 6 anos e depois mais 22 anos na BR eu não me lembro de tê-los conhecidos em seminários, em visitas a outros órgãos ou por telefone. Como assistido da PETROS, Sou associado da AMBEP há 28 anos e mais alguns de quando estava na ativa. Também não me lembro dos Senhores pela AMBEP. Mas isso não é o caso, é apenas uma introdução, um esclarecimento. Eu votei na chapa dos Senhores por indicações de quem eu conheço e confio e também por indicação da AMBEP, onde tenho vários conhecidos que me telefonaram pedindo apoio. Durante todo este tempo em que sou associado da AMBEP eu e meus familiares sempre fomos bem informados, atendidos e assessorados juridicamente nos processos que movi contra a PETROS, sobre os aumentos dos benefícios que tinham sido expurgados do meu contra cheque. Apesar de já ser repactuado obtive sucesso. Então, dentro deste panorama, acreditei piamente na indicação da AMBEP que com a eleição dos Senhores, novos e bons ventos soprariam sobre a PETROS. Agora diante de tamanha indignação dos meus ex-colegas de grupos de whatsApp, alarmados com a aprovação das contas da PETROS em 2019 sem nenhuma ressalva e diante do total silêncio da AMBEP e também que não houve nenhum debate das sugestões oferecidas extra oficialmente aos Senhores pelos assistidos mais atuantes junto aos novos Conselheiros? E agora pergunto ” será que continua tudo como dantes no castelo de abrantes “?
            Gostaria de merecer um retorno
            Atenciosamente e respeitosamente
            Jose Carlos Correa -Matricula PETROS 0228436

          34. Revoltante, parece que quanto mais lutamos, somos derrotados por “inimigos” por nós eleitos.
            O que nos resta?? Infelizmente, é continuar exigindo dos responsáveis, respostas..; se é que eles tenham..
            Emidio

          35. Copio e colo as palavras da Mara S L Garcia, me sinto roubado, lesado e porque não dizer humilhado depois de mais de 33 anos pagando por uma aposentadoria no mínimo estável.
            Eu pensei que fosse ter uma aposentadoria tranquila, mas isso não tem ocorrido. A última novidade foi a eleição para Conselheiros da PETROS. Conselheiros esses indicados pela AMBEP, na esperança de que fossem fazer uma fiscalização melhor nas contas. O que não aconteceu… Vejo cada vez mais meu salário ser reduzido e eu sendo obrigado a pagar dívidas das quais não são de minha competência. Não fui eu que sumi com o dinheiro.

          36. José Lindolfo Magalhães

            Sr. Conselheiro Coy:
            Acabei de ler uma postagem sua, de hoje, 14/06/2019, postado agora por volta das 20:00.
            Só que ela está sem a opção de COMENTÁRIOS, ou seja, não se consegue comentar esta postagem.
            Sendo assim, estou colocando minha dúvida aqui onde se trata do tema aprovação das contas de 2019 que vinham sendo recusadas por 16 anos.
            Vamos aos pontos:
            Primeiro registrar que parece que agora o Conselho Fiscal resolveu responder as postagens que tratam da aprovação das contas. Até a ultima vista, mais de 80 postagens.
            Sendo assim, este tema é afeto ao Conselho Fiscal mas vinha, em grande parte, sendo respondido por pessoas que pertencem ao Conselho Deliberativo.
            Ficou uma impressão estranha, mas parece agora estar tomando o rumo correto. Sendo assim, todas as postagens tratando de contas, precisam ser respondidas pelo CF e não o CD.

            Segundo ponto:
            Extraio do texto publicado pelo Senhor, abaixo entre aspas:
            Abre aspas
            A aprovação das Demonstrações Contábeis 2019, referem-se, única e exclusivamente, ao ano em referência.
            ……..
            O fato de aprovar as Demonstrações Contábeis (DCs) de um exercício não implica em passar uma borracha no passado, até porque se assim fosse auditores e órgãos reguladores seriam os primeiros a gritar.
            Fecha aspas
            PERGUNTA:
            Esta afirmação pode levar as pessoas a entenderem, erroneamente, que eventos passados, ainda não resolvidos, mas que impactam o cálculo atuarial que avança sobre a vida do Plano, não necessitam ser examinados.
            Isto porque há eventos passados, apontados nos relatórios anteriores do Conselho Fiscal, que continuam a impactar os cálculos atuariais, pois não foram resolvidos.
            Esta interpretação está sendo feita com base nas pendencias anteriores do próprio CF e o que determina a Resolução CNPC 29 de 13/04/2018.
            Dada a importância do assunto, e para que eu possa aprender e sedimentar minhas informações, apreciaria especial fineza de V.Sa. esclarecer a sua postagem, qual o seu entendimento sobre o assunto, qual o entendimento do Conselho Fiscal, pois se não ficar satisfeito, pretendo apresentar consulta ou denuncia na PREVIC, a depender de sua resposta.
            Só lembrando que existem, também, outros Normativos sobre o assunto.
            Atenciosamente,
            José Lindolfo Magalhães

            1. Lindolfo,
              A área responsável pelos cálculos na PETROS, os realizou, considerando todas as essas premissas, e o Conselho Fiscal emite Parecer dos Estudos e Hipóteses e Taxa de meta Atual, o que foi devidamente auditada pela KPMG. Nessas premissas foram consideradas, em conformidade com a legislação, onde são estabelecidos cenários, a partir de modelos matemáticos e estatísticos que respondem a questões de cada plano, tais como: Projeções salariais; Benefício estimado na aposentadoria; Hipóteses Biométricas Demográficas e Econômicas; Taxas de meta atuarial e inflacionárias; Expectativa de Vida; Previsão de Pensão; Recursos Financeiros dos Planos etc. Ou seja, todos são elementos que afetam financeiramente o plano.
              Quanto à sua questão, valores econômicos com probabilidade de recebimentos futuros é lógico que são considerados, mas os que envolvem processo de investigação e processos judiciais em andamento, cuja probabilidade de ganho não permite definição, não afetando, nem os cálculos nem as Demonstrações Contábeis.
              Portanto, as perdas passadas que se acumularam e que geraram os denominados déficits técnicos, conforme limites estabelecidos legalmente, já foram contabilizadas, por isso estamos amargando “Equacionamento de Déficit”, que pode ser futuramente aliviado com as recuperações que se efetivarem.
              Acrescento que, no dia 09.06.2020, já fomos sabatinados pela PREVIC, sobre todos os aspectos do parecer das DCs/2019.
              Como o Conselho Fiscal é um Colegiado e este exercício teve voto favorável, por unanimidade, para recomendação da aprovação pelo Conselho Deliberativo, doravante os questionamentos de caráter técnico, como este, daremos respostas consolidadas por esse Colegiado.
              Agradeço a oportunidade de responder questões de nível técnico como a presente, visando dar esclarecimentos à comunidade ou reencaminhar ponto a ponto, para que não fiquem sem respostas.

          37. Como entender o por que de o Conselho Fiscal da Petros aprovar as contas referentes ao exercício de 2019, após 16 anos de sucessivas reprovações ?
            Também faço as minhas as palavras muito bem colocadas do Lindolfo.

          38. Srs. Conselheiros é inacreditável e inaceitável o que vocês estão fazendo com nós, pois somos aposentados que sempre com muito sacrifício cumprimos e ainda estamos cumprindo com nossas obrigações, que aliás, pagando rombos e roubos dos quais não participamos.
            Lamentável que após 30 anos de BR, almejando uma aposentadoria digna por direito, somos apunhalados pelas costas. Elegemos vocês na esperança de acabar com a pouca vergonha que assombrava a Petros, mas infelizmente nos enganamos. Não consigo entender como tiveram a capacidade de aprovar 16 anos de reprovação. Vejam foi 1 ano, foram 16 anos.
            A pergunta que não quer calar: Vocês conseguem por a cabeça no travesseiro e dormir em PAZ? Pensem muito nas suas atitudes, porque haverá outras eleições.

          39. Fiquei decepcionado com a atitude
            do Conselho Fiscal que aprovou as contas do
            ano de 2019 pois pensava que com a eleição dos novos conselheiros teríamos um novo rumo na PETROS e não foi o que aconteceu. Me senti traído e lesado e com a aprovação das Contas de 2019 desconsiderando as ressalvas dos anos anteriores e até mesmo, simplesmente, retirando-as. Isso para mim é uma vergonha pois é perdoar dividias de pessoas inescrupulosas e jogar no lixo a aposentadoria de muitas pessoas que trabalharam e pagaram durante décadas para ter uma aposentadoria estável, mas ver agora jogado o ônus nas costas desse mesmo trabalhador. O que pensar a respeito desses conselheiros? Boa coisa não vai ser. No mínimo serão chamados de traidores e inimigos.
            Não iremos desistir. Vamos lutar para que essas pessoas paguem pelo que fizeram!
            Gostaria que fosse repensado e corrigido a falha.

            Atenciosamente
            Jose Afonso L. Pimentel

            1. Prezado José Afonso Pimental

              Perdão: Onde foi que o senhor leu isso? “….”aprovação das Contas de 2019 desconsiderando as ressalvas dos anos anteriores e até mesmo, simplesmente, retirando-as”??? “…”perdoar dividias (sic) de pessoas inescrupulosas”??? Desculpe-me, mas é o senhor quem deveria repensar. Jamais iríamos trair a nós mesmos, até porque somos conselheiros aposentados e estamos sendo impactados por décadas de erros na Petros. Infelizmente, dormimos em berço esplêndido e acordamos tarde demais, mas ainda é tempo de recuperar os anos perdidos na letargia.

          40. Decepção total. Após anos de rejeição das contas da Petros, os novos conselheiros dos quais esperávamos postura diferente aprovam as contas como se nao houvesse nada no passado .
            Eu que acreditei nas novas propostas e agora vejo que nada mudou.

            1. Boa tarde, Zilmar
              Você tem todo o direito de expressar sua indignação, mas, antes, recomendo que você releia os post e caso não entenda se certifique ouvindo outras pessoas, além daquelas ditas entendidas e/ou indignadas.

          41. JOILSON MONTEIRO DOS SANTOS

            Eu não consigo entender como aprovar o exercício contábil do ANO de 2019,
            sem no minimo mencionar as reprovações dos últimos 16 anos. É como se não existisse o atual DEFICIT ATUARIAL bilionário, causado pelos anteriores gestores do plano, pior ainda, e como se os atuais eleitos para o Conselho Fiscal, nos dissessem ” Vamos esquecer este passado, vamos pagar este deficit e pronto ” .

            Estou muito decepcionado , mais não o suficiente para desistir da luta .

            Joilson Monteiro dos Santos

            1. Prezado Joilson
              Você é um leitor antigo do blog, mas não por isso vou-lhe responder. Não existe essa expressão “vamos esquecer o passado”. Não faço parte do CF, mas acredito na seriedade dos seus 8 membros, dentre estes aqueles que fizeram parte da chapa Renovação. Não desista da luta, porque nós também não desistimos, apesar dos ataques orquestrados com o objetivo de nos desacreditar. Como já disse antes, não responderei a ataques difamando quem me difama; esse não é o meu método. Nossa resposta é o trabalho e sempre será assim. Não estou fazendo parte do conselho por razões pecuniárias, nem político partidárias. Meu partido eu deixei muito claro durante a campanha: é a Petros. Obrigado por comentar e não desista, repito, confie em nós.

          42. Prezado Herval,
            Acho que o voto depositado em sua chapa não transfere prerrogativas de pedir calma e/ou achar que as pessoas são ansiosas em suas postagens. Inadimissivel ilações a respeito do comportamento das pessoas.
            Não há e nem houve em nenhuma de minhas postagens repetições de envio as quais caracterizassem condições para erro e /ou atitudes não consonantes com o aplicativo Worldpress, dado que o mesmo deu como resposta mensagem enviada aguardando moderação.
            O que ocorreu e isto foi por demais estranho é que em torno de mais de dezenas de postagens após a minha e pelo horário terem sido aprovadas pelo moderador, bem como muitos outros colegas tiveram os mesmos problemas.
            Deste lado do muro, todos estão absolutamente calmos e sem ansiedade.
            O único problema visível e aí vocês devem sim, ficarem calmos e sem ansiedade, é de que a credibilidade dos eleitos está abalada e a única maneira de recuperar é honrar os votos recebidos pelo intuito de cumprirem a agenda de promessas feitas à época do escrutínio. A delegação foi posta, portanto façam além do necessário para o bem comum de Petros, Patrocinadoras e Beneficiários. É esta a dívida que vocês tem para com o eleitorado. O passado de vocês não pesa mais e sim a história do que farão daqui para frente com representantes que são de milhares de participantes.

            1. Prezado Paulo Buxó Claramunt

              Agradeço-lhe pela maneira educada em me responder, ao tempo em que peço-lhe desculpas por ter adjetivado o seu comportamento. Acredito que você tem a capacidade de exercer a sua empatia e também se colocar do lado de cá, onde estamos sendo taxados de traidores, vendidos, etc, mas eu entendo a revolta de muitos. Eu também estaria, se não estivesse do outro lado e com a consciência tranquila, como sempre estive, durante mais de 37 anos na Petrobras, Transpetro e BR Distribuidora, ocupando diversas funções e lidando até com praticantes de ilícitos na companhia. A minha ficha funcional é uma comprovação daquilo que verbalizo. Mesmo sabendo que esse passado pode não contar, mas ele é o legado que pretendo deixar para os meus filhos.

              De tudo, o que mais lamento é o sentimento de ter sido traído por algumas pessoas que admirava e depositava minha inteira e total confiança e esses, graças a Deus, ainda não os descobri do lado de cá. A minha esperança é conseguir fazer com que todos enxerguem que deveríamos estar do MESMO LADO, que é o lado da Petros, enquanto entidade que deve ser preservada no sentido de honrar com os contratos que assinamos, há mais de 40 anos, como é o meu caso.

              Não tenho interesses políticos e nunca me candidatei, antes, a cargos eletivos. Exerço a minha função sem nenhuma remuneração e faço isso por acreditar acima de tudo em mim, como sempre acreditei. Sei que nunca irei me decepcionar comigo mesmo. Grato pelo voto de confiança, mesmo que ainda tímido.

          43. Carlos Alberto Duval Barbosa

            É sempre assim, causaram o rombo nas contas da Petros e agora jogaram a dívida para os mantenedores, beneficiários e assistidos pagarem esse déficit assassino. Porquê essa dívida não foi acertada no início. Aonde estavam os conselheiros, nossos representantes? A Petrobras pagou realmente o que era devido? Infelizmente nesse país, somente os trabalhadores pagam a conta. Nós cumprimos todo o contrato com a Petros, pagando fielmente com desconto em folha, durante toda a nossa vida laboral, 14,9 % do nosso salário, alguns 11 %, para termos nossa suplementação durante a aposentadoria, e ainda continuamos pagando, quando aposentados. Investiram de maneira inadequada uma grande parte do nosso fundo de aposentadoria, com enormes prejuízos financeiros e agora tiram parte dos nossos vencimentos, de maneira totalmente absurda; e pior, com aval dos Sindicatos, Associações e outras Instituições da categoria, que se intitularam para negociar em nosso nome, sem no entanto ter uma procuração e/ou autorização de nossa parte. Pior ainda, a nossa “justiça” não trata com a devida urgência para julgar a causa, como no caso da liminar que está dependendo da decisão no Supremo. Aonde está a lei que as pessoas de idade “avançada” têm prioridade na justiça. Nesse caso, garanto que grande parte que aguarda essa decisão já tem idade acima desse limite. A Petros já sinaliza que vai debitar os atrasados sem o julgamento do mérito. A Petros não deveria aguardar a sentença final? Foi dada alguma opção para o beneficiário ou mantenedor? Se calarmos a cobrança será vitalícia, se negociarmos o pagamento, estamos aceitando a dívida. Não irei assinar nada, não aceito e não concordo com esse débito, muito menos com esse déficit “assassino” que criaram de maneira não muito transparente e de fácil entendimento por grande parte dos beneficiários
            .

            1. Pois é meu caro! O que fizeram durante 16 anos? Solicito ler a publicação “Sobre o Parecer e as Falsas Premissas”. Pode ter certeza os pontos anteriores continuam sendo monitorados e gerando as ações pertinentes.

          44. Caros conselheiros,
            Meu parco conhecimento, me leva a questionar a aprovação das demonstrações contábeis do exercício de 2019, entendendo que as contas não aprovadas desde 2002 ou 2003 tiveram sua razão de ser e os apontamentos que levaram o conselho fiscal a não aprovação, produziram efeitos subsequentemente se não sanados.
            Portanto, pontos não sanados no decorrer de 16 anos ou parcialmente sanados necessariamente continuam a produzir efeito nas demonstrações contábeis.
            Aprovar as demonstrações contábeis de 2019 e deixar os apontamentos que determinaram as não aprovações por longos e seguidos 16 anos para ser apreciado nas reuniões ordinárias, a mim parece uma tentativa de “passar a borracha” no passado, que inevitavelmente levará ao esquecimento e/ou não adequado tratamento em questões que produziram e continuarão a produzir reflexos patrimoniais.
            Peço a gentileza de esclarecer.
            Haroldo Diniz,
            matr 220438

          45. Depois de anos de enganação por diretores e conselheiros, é de se colocar sempre na defensiva . Acho prudente co nhecer mais o trabalho de vocês. Sou sindicalizado, não Repactuado, mas pago os aportes desde o início, simplesmente por morar em outro estado da base sindical, (Santos. SP), matr 4854. Vou esperar a implementac~ao do novo Plano para justicializar. Por anos ficamos nas mãos de bandidos.

          46. Se voces estao tao entendidos sobre este assunto, a ponto de sentirem confortaveis de aprovar as contas de 2019, porque nao efetuam uma live com esta comunidade?
            É muito confortavel enviar e-mails, e responder apenas de forma evasiva.
            Voces foram eleitos com uma expectativa de nova gestao de nosso dinheiro.
            Farão a live ?
            Há um grande número de associados com esta aprovação.
            Em tempo: porque voces nao intervem para que as prestacoes nao pagas atraves de liminares sejam pagas apenas apos a decisao do STJ ? Voces defendem realmente o nosso interesse ?

          47. Ildemar Dutra da Silva Bueno

            Prezado Herval,
            Se vc não sabe ou ignora, vou esclarecer que a sua eleição e dos demais da AMBEP, além de um desejo de mudança e transparência, antes de tudo, foi para impedir a continuidade dos desmandos e aparelhamentos políticos propiciados por sindicalistas e suas entidades e que nos levaram a esse caos atual de um DÉFICIT DE R$ 45 BILHÕES! Eles esquartejaram a PETROS de todas as maneiras possíveis: ocupando todos os cargos na PETROS e nos conselhos das empresas que a PETROS investia, votando em investimentos suspeitos e fraudulentos (SETE-BRASIL, INVEPAR, TORRE PITUBA ETC) e que nos legaram BILHÕES DE PREJUÍZOS, algo demonstrado na operação GREENFIELD e NA CPMI DOS FUNDOS DE PENSÃO, esquartejando os nossos direitos via ACORDOS COLETIVOS LESIVOS (AOR, REPACTUAÇÃO, BPO, ACORDO DE NÍVEIS, SEPARAÇÃO DE MASSAS, RMNR-PCAC-2007, PED-2015 E NPP). O teatro da “rejeição das contas” onde os mesmos que votaram nos investimentos fraudulentos, voltavam e enganavam a categoria que tinham ‘VOTADO PELA REJEIÇÃO DAS CONTAS” Quando os motivos alegados para esse teatro da rejeição das contas não guardavam qualquer relação direta com os motivos alegados para o DÉFICIT de R$ 45 BILHÕES! Era uma tremenda enganação pois eles NÃO ATACAVAM OS ERROS QUE ELES MESMOS PRODUZIRAM! Por essas e outras é que temos conselheiros e gerentes petistas indicados pelo partido e pelo sindicalismo processados pela própria gestão da PETROS pelas operações da P.F e MPF.
            Diante desse quadro dantesco e ao ver os conselheiros que NÓS ELEGEMOS, aprovar junto com os nossos algozes as contas rejeitadas, não fazer qualquer discussão do NPP e apenas servirem de CARIMBO para os ditames da gestão, patrocinadora e FUP, só vos resta três caminhos: Pedir desculpas e iniciar o cumprimento das promessas de campanha,se aliar definitivamente com os que junto com as suas entidades lesaram a família petroleira ao afundarem a PETROS ou a RENÚNCIA.
            Ildemar Bueno

            1. Prezado Ildemar Bueno, boa noite
              Sim, eu sei de tudo isso que você relata. Com relação especificamente a aprovação das Demonstrações Contábeis do ano passado, em oportuno, será respondido pelo atual Conselho Fiscal, mas detidamente. Quanto a isso, conversei com o Coy.
              Nosso alinhamento é com os interesses dos participantes da Petros e eu sou um deles. No Conselho, posso lhe garantir, não discutimos questões afetas à ideologia e isso deixei muito claro até durante nossa campanha.
              Agora não é hora de falar muito e sim continuar nosso trabalho que tem sido árduo. No meu dicionário não existe a palavra renúncia e sim persistência. Foi isso que me fez ingressar na Petrobras, em setembro de 1979, como técnico em química e me aposentar, em janeiro de 2017, como administrador de empresas.
              Saudações, Herval Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.