Os conselheiros eleitos neste ano pelos participantes tomaram posse na última segunda-feira (26/7), após processo de habilitação pela Previc. Fernando de Castro Sá e Luciano Maldonado Garcia assumiram seus postos, de titular e suplente, respectivamente, no Conselho Deliberativo. No Conselho Fiscal, Wander Marcelino é o novo conselheiro titular, que tem Helio de Castro Domingues Filho como suplente.

Com a nova composição, e o encerramento do mandato do João Antonio da Silva Cardoso, que estava à frente do Conselho Fiscal, Linaldo Coy, eleito pelos participantes em 2019, assume a presidência do colegiado, conforme Estatuto da Petros e artigo 15, da Lei complementar 108/2001. O Conselho Deliberativo segue presidido por Claudia Padilha de Araujo Gomes.

Nas eleições realizadas em junho, conforme já comunicado, a chapa formada por Fernando de Castro Sá e Luciano Maldonado Garcia foi eleita com 10.055 votos, ou 34,6% dos votos válidos. Já a dupla Wander Marcelino e Helio de Castro Domingues Filho conquistou a vaga no Conselho Fiscal com 11.608 votos, ou 40,2% dos votos válidos. No total, foram registrados 29.671 votos, o que representa 22,38% do total de eleitores aptos.

O Conselho Deliberativo é o órgão máximo de governança da Petros, responsável por decisões importantes, como a criação de um plano, a aprovação de regulamentos e da política de investimentos. Já o Conselho Fiscal é o órgão de controle interno, que faz a fiscalização da gestão administrativa, econômica e financeira da Fundação.

Publicado no site da Petros, http://www.petros.com.br, em 30/07/2021

3 comentários em “Eleitos tomam posse nos conselhos Deliberativo e Fiscal”

  1. Agora vocês, José Roberto e Herval, somam com Fernando Sá e Luciano uma dupla de quatro representantes dos Assistidos pela PETROS. JUNTOS VOCÊS SERÃO MAIS FORTES. Desejo Saúde e Garra ! E com sorte teremos mais SORTE.

    1. Prezado Sérgio Garcia, nosso propósito, desde a campanha vitoriosa de 2019, foi sempre no sentido de fortalecer a Petros e munir os seus conselhos com membros voltados aos interesses de TODOS os participantes, que durante décadas contribuíram, mensalmente, com parte dos seus salários para terem o DIREITO de ter uma vida DIGNA durante sua APOSENTADORIA. Para tanto, faz-se necessário qualificar os conselhos com pessoas que tenham a devida competência técnica para deliberar e fiscalizar os atos de gestão da fundação.

      Agrademos muito o seu apoio e confiança no nosso trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.